Veja as últimas notícias de florianópolis


FECAM aguarda repasse de R$ 85 milhões do governo de SC

Deolhonailha: 07/12/2018 - Postado por: Redação

Economista da FECAM, Alison Fiuza, apresenta o estudo
Foto: Divulgação/FECAM

Cerca de R$ 85 milhões é o que o Estado de Santa Catarina falta pagar para a conclusão de obras e convênios em execução nos municípios catarinenses, cujo prazo encerra agora no fim do ano de 2018. O alerta vermelho para as prefeituras foi apresentado durante Assembleia Geral, que reuniu prefeitos e prefeitas, presidentes das associações, executivos, técnicos das entidades municipalistas, coordenadores de colegiados, representantes de consócios e lideranças, em Florianópolis, na última semana. Eles participaram da reunião que apresentou o panorama dos convênios celebrados com o Estado, ainda em execução. A preocupação dos gestores é com o prazo final que as prefeituras têm para receber os valores referentes a esses convênios. Na assembleia definiu-se que a FECAM irá apresentar o estudo ao atual governador, Eduardo Pinho Moreira, e também ao governador eleito, Carlos Moisés da Silva, solicitando posicionamento sobre o assunto.

Estudo feito pela equipe de Estatística e Economia da Federação Catarinense de Municípios (FECAM), com análise entre 2015 e 2018, aponta que, no período, foram pactuados entre o Estado e os municípios 1.721 convênios que representaram aporte de R$ 526 milhões em investimentos na economia catarinense. Desse montante, 92% são recursos do Estado por meio de Transferência Voluntária (convênios) e 8% de contrapartida municipal.

A preocupação dos gestores municipais está nos convênios em execução, cuja vigência encerra em 2018. Atualmente, são 448 convênios nessa situação que representam R$ 170 milhões a serem aplicados nos municípios sendo que, desse valor, cerca de R$ 153 milhões são de responsabilidade do Governo do Estado. Até agora, os repasses estaduais somaram R$ 68 milhões que equivale a 44,4% do valor total a ser pago.  Mais de 55% do valor está pendente e o que preocupa os prefeitos e prefeitas é encerrar o ano sem receber os valores, uma vez que as administrações municipais não têm caixa para arcar com o restante das obras e ações em curso. “O valor pendente de repasse é consideravelmente alto em comparação ao tempo que o Estado tem para realizar o pagamento aos municípios”, destaca a presidente em exercício da FECAM, prefeita de São Cristovão do Sul, Sisi Blind.

O coordenador do estudo, economista Alison Fiuza, explica que foram analisados os contratos de apoio financeiro e convênios firmados entre o GESC e as administrações públicas municipais com dados do Portal de Transparência do Estado de Santa Catarina. A análise considerou dados como o Instrumento (convênio e contratos de apoio financeiro), Situação da Transferência (Executados e em Execução), Celebração (2015/2016/2017/2018), Credor (município) e Fim da Vigência (até 2018).

Dos convênios em execução, a maior quantidade concentrou-se no ano de 2018 com 260 propostas pactuadas. Apesar de citado no estudo, em 2015 não houve registro de convênio a ser finalizado em 2018. Já em 2016 foram firmados 90 convênios e, em 2017 outros 96.

Segundo Fiuza, 95% das despesas das prefeituras são para custeio e 5% para investimento. Sendo assim, elas dependem fundamentalmente do repasse dos recursos estaduais para aplicar em obras e serviços. “Os municípios estão no limite da sua capacidade financeira e não terão como arcar para finalizar os convênios”, destaca. Em contrapartidas, os municípios catarinenses aportaram cerca de R$ 17 milhões.

Conforme o estudo, dos contratos em execução, o maior volume de convênios é destinado a atender o Transporte Rodoviário, que consiste em obras de pavimentação, recuperação de vias, calçadas, drenagem fluvial e sinalização viária, por exemplo. A segunda maior demanda está concentrada em convênios voltados ao Lazer, para aquisição de bens vinculados ao esporte e lazer, como também infraestrutura e eventos poliesportivos. O terceiro maior número de convênios assinados são os de Extensão Rural, para o desenvolvimento da agricultura com ações a exemplo de feiras e exposições. Ao todo, o estudo aponta 18 áreas que receberam convênio e 48 municípios em situação de espera.

A partir de 2019, a FECAM irá realizar o monitoramento mensal das Transferências Voluntárias, repassando aos municípios as informações atualizadas a cada 30 dias. O estudo integra ação de trabalho intitulada Cidades Inteligentes e Gestão Eficiente, um dos eixos coordenados internamente pela FECAM que auxilia no planejamento estratégico da instituição para 2019/2020.

Segundo o diretor executivo da FECAM, Rui Braun, é tarefa da Federação cuidar dos interesses financeiros dos municípios. Nessa dinâmica, negociar a dilatação dos convênios firmados entre os municípios e o Estado é uma das tarefas prioritárias para o encerramento do ano fiscal. “Além disso, estamos empenhados em estruturar metodologias de acompanhamento permanente da administração dos convênios e, também, promover estudos sobre a dinâmica de contratualização envolvida nessa parceria entre municípios e Estado, afirma.

Categoria: Economia e Negócios

Sobre Redação

Redação

DeOlhoNaIlha

O Deolhonailha publica Notícias de Florianópolis e grande Florianópolis diariamente sobre os mais variados temas e assuntos. Todo material é proveniente de fontes qualificadas e confiáveis e editado na redação do portal, que também produz reportagens especiais sobre assuntos interessantes que não têm destaque na mídia tradicional.

Comente!

Filtrar categoria









Últimas notícias

ver todas

Roteiros

 Circuito das fortalezas

Circuito das fortalezas

Florianópolis tem cinco fortalezas, das quais quatro estão abertas à visitação.

mais roteiros