15.1 C
fpolis
sábado, setembro 25, 2021
cinesytem

Brasil demandará 420 mil novos profissionais das áreas de TI e Telecom até 2024, diz estudo

spot_img

Brasil demandará 420 mil novos profissionais das áreas de TI e Telecom até 2024, diz estudo

spot_img

São Paulo, SP 30/7/2021 –

Pesquisa revela que em todo o mundo faltam profissionais aptos para trabalhar em data centers

Pesquisa divulgada em janeiro de 2021 pelo Uptime Institute revela que, em todo o mundo e até 2025, o segmento de data centers sofre com a falta de 300 mil profissionais aptos a trabalhar nas complexas funções que garantem a continuidade dos serviços oferecidos pelo data center. O mercado brasileiro de data centers acompanha essa tendência. Segundo relatório produzido em 2020 pela Associação das Empresas de Tecnologia de Informação e Comunicação (Brasscom), a partir de entrevistas com as 91 empresas de seu ecossistema, a área de TI e Telecom brasileira demandará, até 2024, 420 mil novos profissionais.

Para Rafael Garrido, vice-presidente da Vertiv LATAM, a digitalização da economia brasileira depende do data center para seguir se expandindo. Segundo ele, os gestores dos data centers, por sua vez, lutam para contratar profissionais aptos a suportar a expansão do setor. “Quem deseja trabalhar no dinâmico mercado de tecnologia precisa manter-se atualizado sobre as principais inovações. Algumas das principais tendências do setor brasileiro de ICT Security são Cloud Computing, BigData/Analytics, Mobilidade e o uso crescente de Social Media”, afirma Garrido.

O executivo da Vertiv, que tem mais de 20 anos de experiência no currículo, explica que trata-se de uma jornada de contínua renovação do conhecimento, envolvendo treinamentos e certificações sobre tecnologias muito sofisticadas. Ele conta que algumas das certificações mais comuns para profissionais que estão iniciando sua jornada em data centers são: Gestão de Data Centers (CDCMP), Redes Cisco (CCNP), Virtualização de Data Centers (VCP5-DCV), entre outras. “Treinamentos como esses cobrem assuntos fundamentais como gestão de data centers, bem como questões básicas de design, enquanto a unidade profissional recomenda tópicos de gestão (facilities, procedimentos) e estratégias de negócios”, exemplifica Garrido.

A jornada de um colaborador de data center nunca é rotineira, exigindo o domínio de muitas competências. O setor brasileiro de data center continua se expandindo – inclusive internacionalmente – a cada dia. “A extrema criticidade do ambiente exige profissionais muito experientes e com um alto grau de compromisso, pois o que afeta o data center, afeta o país. Quem se ajustar a esse perfil contribuirá para a transformação da nossa economia em 2021, e no futuro também”, garante Rafael Garrido.

spot_img
spot_img

Leia mais