Florianópolis, 20 de julho de 2024

60,18% dos profissionais de tecnologia brasileiros têm interesse em trabalhar fora do país

spot_img

Compartilhe

Dados foram coletados durante a 17ª edição do TDC Florianópolis, que aconteceu de 12 a 14 de junho na capital de Santa Catarina

60,18% dos profissionais de tecnologia brasileiros têm interesse em trabalhar fora do país – é o que indica a Análise do Perfil Profissional do TDC (The Developers Conference), maior evento do país voltado a profissionais de tecnologia. Os dados, que vêm sendo coletados desde 2019, foram atualizados após a realização, entre os dias 12 e 14 de junho, da 17ª edição do TDC Florianópolis, que aconteceu na capital catarinense ao longo de três dias. Quase dez mil pessoas acompanharam a edição mais recente da conferência; três mil delas presencialmente, e quase sete mil online. Com o tema “Desafios para criação do futuro digital”, o encontro gerou mais de 150 horas de conteúdo, com a participação de 260 palestrantes. Anualmente, o TDC conta com até seis edições em cidades-chaves para a comunidade de tecnologia brasileira.

A pesquisa do TDC mostra ainda que 9,88% dos profissionais não têm interesse em trabalhar fora do Brasil. Para 29,88%, a resposta é “talvez”. Embora a proporção do número de trabalhadores que desejam trabalhar fora tenha se mantido relativamente estável desde 2019, a porcentagem de 60,18% é a menor registrada – o pico foi observado em 2021, com 63,25% dos participantes escolhendo essa opção. Da mesma forma, o número de profissionais que responderam “não” em 2024 foi o maior registrado desde o início do levantamento.

O estudo analisou também a porcentagem de profissionais que não estão empregados atualmente, por meio da pergunta “Há quanto tempo você está no seu emprego atual?”. 4,91% dos respondentes não estão trabalhando, o que pode indicar uma estabilização gradual do mercado de trabalho após a pandemia: em 2019, esse número era de apenas 1,62%, mas saltou para 4,15% e depois 5,27% em 2020 e 2021, voltando a cair a partir de 2022. “As flutuações de 2021 a 2024 indicam que o mercado de trabalho passou por períodos de recuperação e novos desafios”, comenta Yara Mascarenhas, CEO do TDC. “As variações na porcentagem de pessoas não empregadas refletem as condições econômicas voláteis e a incerteza persistente no mercado de trabalho global, mas a queda em 2024 sugere uma tendência de recuperação.”

Outra informação apontada pelo estudo mostra que 32,25% dos profissionais estão ativamente procurando emprego – um número consideravelmente maior que no começo dos levantamentos, em 2019, quando a porcentagem era de apenas 23% dos respondentes. Já o número de pessoas que escolheram a opção “Não, mas estou sempre de olho nas oportunidades” ficou em 51,07%, o menor número registrado: o total era de 63,98% em 2019, mas vem caindo desde então.

TDC Florianópolis: inteligência artificial em destaque

Segundo Yara Mascarenhas, CEO do TDC, o grande destaque da edição mais recente do TDC Florianópolis foi a consolidação da tendência da adoção de inteligência artificial em produtos, serviços e processos de desenvolvimento para aumentar a produtividade. “Isso foi visto nos estandes, nas palestras de todas as trilhas, no Fórum Executivo e nos workshops”, Yara aponta. “No Fórum Executivo tivemos cases de inteligência artificial em saúde, agro, indústria, mídia e comunicação, até mesmo na Fórmula 1. O momento de networking do Fórum também foi riquíssimo.”

Novidade na programação das edições mais recentes do TDC, o Fórum Executivo é um espaço exclusivo para líderes do setor de tecnologia em empresas de diversos segmentos: a ideia é promover um ambiente de conexão, onde seja possível compartilhar experiências e discutir ideias. Outra novidade foi a grade com quinze workshops mão na massa, distribuídos ao longo dos três dias de evento, e já inclusos na inscrição.

“Também recebemos grandes grupos de empresas do Brasil inteiro que vieram para se reunir no TDC; algumas companhias mandaram dez ou doze colaboradores de vários lugares do país para team building”, conta Yara. “Outras mandaram grupos para participar do evento. Tivemos a presença de profissionais de todo o estado de Santa Catarina, o que também mostra a força do ecossistema de tecnologia catarinense.”

No TDC, o conteúdo é organizado por trilhas, com o objetivo de apresentar os tópicos mais relevantes do segmento, de acordo com as necessidades locais e internacionais: são mais de dez trilhas paralelas por dia, e cada trilha é como um evento independente de um dia inteiro, organizado por especialistas no assunto. Cada uma apresenta sete palestras de 35 minutos e um Painel de Discussão de uma hora. Entre os slots, há intervalos para almoço e networking. As trilhas são organizadas dentro de oito diferentes áreas: Agile e Produto, Arquitetura e Desenvolvimento, Cloud e Devops, Design, Dados e IAs, Qualidade e Testes, Liderança e Inovação, e Web e Mobile.

Agora, a comunidade se prepara para os próximos eventos TDC: o TDC São Paulo, de 18 a 20 de setembro; o TDC Summit IA Brasília, nos dias 23 e 24 de outubro; e o TDC Summit IA Recife, entre os dias 6 e 8 de novembro, dentro do evento Rec’n’play.