13.5 C
fpolis
sexta-feira, setembro 24, 2021
cinesytem

8ª Mostra de Cinema de Direitos Humanos na América do Sul começa nesta segunda-feira em Florianópolis

spot_img

8ª Mostra de Cinema de Direitos Humanos na América do Sul começa nesta segunda-feira em Florianópolis

spot_img

Começa nesta segunda-feira, 2, em Florianópolis, a 8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul. O evento vai até o dia 7 de dezembro, no auditório do Cesusc, no trevo de Santo Antônio de Lisboa e a entrada é gratuita. Serão quatro exibições diárias, nos seguintes horários: 8h30, 14h, 16h e 19h30.

A abertura do evento, às 19h30, será com o curta-metragem “A Onda Traz, o Vento Leva”, de Gabriel Mascaro e a animação “Uma História de Amor e Fúria”. Além de contar com a exibição de 38 filmes, a programação se destaca por garantir acessibilidade: toda a filmografia será exibida com closed caption para pessoas com deficiência auditiva e haverá sessões com audiodescrição para pessoas com deficiência visual. Na mostra competitiva, os melhores filmes serão escolhidos pela plateia ao final das sessões.

Composto por uma mostra competitiva, uma de realizadores indígenas e uma retrospectiva em homenagem ao cineasta Vladimir Carvalho, o evento é realizado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, em parceria com o Ministério da Cultura.

Política e arte

A 8ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul é realizada oficialmente em todo o território nacional, entre os dias 26 de novembro e 22 de dezembro de 2013, exibindo curtas, médias e longas-metragens em formato digital, que alcançam mais de 600 pontos extras de exibição, por meio de cineclubes, pontos de cultura, institutos federais de educação profissional,universidades, entre outros. Trata-se de uma produção da Universidade Federal Fluminense (UFF), através do Departamento de Cinema e Vídeo, com apoio da OEI, UNIC-RIO, CTAv, EBC e patrocínio da Petrobras e BNDES.

Mostra Competitiva de longas, médias e curtas: são 24 filmes produzidos recentemente no Brasil e outros países da América do Sul, sendo 13 longas, sete médias e quatro curtas, que tratam de diversos temas relacionados aos Direitos Humanos, como inclusão das pessoas com deficiência, diversidade sexual, direito à memória e à verdade, população de rua, entre outros.

Mostra Homenagem – Vladimir Carvalho: nascido na Paraíba e radicado em Brasília, Vladimir Carvalho fez do cinema uma forma de pensar e intervir no mundo. Nos últimos 50 anos, dirigiu filmes sempre implicados com os destinos do país e do povo. Como poucos, Vladimir fez do documentário um ato político e poético. Nesta homenagem, cinco de seus mais de 20 filmes serão apresentados: Conterrâneos Velhos de Guerra (1991); Brasília Segundo Feldman (1979); O País de São Saruê (1971); Barra 68 – Sem Perder a Ternura (2001); O Evangelho Segundo Teotônio (1984).

Mostra Cinema Indígena: os quatro filmes escolhidos pela curadoria para a 8ª MCDH na América do Sul são exemplares contundentes da renovação de luta política a partir da apropriação da tecnologia por diversas etnias que constituem os povos indígenas no Brasil.
 

spot_img
spot_img

Leia mais