15.5 C
fpolis
terça-feira, agosto 16, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Biólogo da Floram estima retirar toneladas de algas da Lagoa

spot_imgspot_img

Biólogo da Floram estima retirar toneladas de algas da Lagoa

spot_imgspot_img

Operação conjunta envolvendo Floram e Comcap visando a limpeza das algas da Lagoa da Conceição continuará durante os próximos 90 dias.

Cerca de 18 Funcionários da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Floram) e quatro da Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap) deram inicio pela manha a operação de retirada das algas da Lagoa da Conceição. Todo trabalho está sendo coordenado pelo biólogo Luiz Pazini Figueiredo.

Em entrevista ao jornal Diário Catarinense, o biólogo fez questão de ressaltar que quanto mais a alga for partida, maior é a sua proliferação. Em razão disso o processo de retirada requer cuidados especiais.

A questão do mau cheiro na região da Rua Osni Ortiga vinha incomodando moradores e turistas que passavam pela vizinhança. De acordo com o estudo realizado a poluição das águas interfere nas cadeias alimentares em que as algas servem de alimento para pequenos peixes, assim sendo, elas acabam morrendo, alerta Pazini.

A ação da Floram atingirá uma área de lâmina d’água de 48.600 m², onde estão condensadas as algas presentes num volume estimado de 7.776 m³ que serão removidos até o final da operação.

Estima-se que cerca de 90% do oxigênio presente na atmosfera terrestre seja gerado pela fotossíntese das algas planctônicas. Assim, essas pequenas algas possuem papel fundamental na manutenção da vida no planeta.

Para o diretor superintendente da Floram Gerson Basso, a limpeza deverá ser rotineira durante toda temporada. “Quanto mais gente chegando na cidade, mais cuidado temos que ter com o ambiente natural”.

Pazini revelou ainda ao jornal Diário Catarinense que três motivos contribuíram para a grande proliferação: a abertura do canal da Barra (que traz mais salinidade para a lagoa), a presença abundante de nitrogênio e de fósforo (provenientes do esgoto sanitário e de detergentes) e o clima quente.

“Creio que vamos recolher toneladas de algas mortas nos próximos 90 dias. As algas recolhidas serão enviadas para o setor de compostagem da Comcap”, informa.

spot_img

Leia mais