17.9 C
fpolis
quarta-feira, dezembro 8, 2021
cinesytem

Comerciantes do Centro Histórico receberão orientações sobre destinação correta de resíduos sólidos

spot_imgspot_img

Comerciantes do Centro Histórico receberão orientações sobre destinação correta de resíduos sólidos

spot_img

Coordenada pela CDL de Florianópolis e FloripAmanhã, segunda edição do projeto Recicla Bem Floripa acontece nesta quarta-feira (26)

Dispostos a aumentar o volume de resíduos recicláveis em Florianópolis e melhorar a imagem do Centro Histórico, voluntários do Grupo Interinstitucional sobre Gestão dos Resíduos Sólidos Urbanos para Florianópolis (GIRS) percorrem as ruas centrais nesta quarta-feira (26/10), das 9h às 17h, distribuindo material informativo e conversando com os comerciantes sobre a forma correta de destinação dos materiais descartados. A ação, que acontecerá na rua Felipe Schmidt, no trecho entre as ruas Jerônimo Coelho e Álvaro de Carvalho, faz parte da segunda edição do projeto “Recicla Bem Floripa, Centro Histórico”, coordenado pela CDL de Florianópolis e a ONG FloripAmanhã, com o apoio da Prefeitura Municipal, que pretende mudar a forma como as pessoas e principalmente os lojistas da Capital tratam o lixo.

A iniciativa ainda tem como propósito melhorar os indicadores de coleta, separação e tratamento dos resíduos e aumentar a geração de renda dos catadores. Atualmente, grande parte do material jogado fora em Florianópolis ainda é encaminhado ao aterro sanitário em Biguaçu. Pedro Paulo de Abreu, presidente da CDL, destaca que a ideia é conscientizar a todos sobre as consequencias econômicas e ambientais causadas pela má destinação do lixo. “Quem trabalha no comércio precisa estar atento às novas políticas de gestão de resíduos e contribuir com o embelezamento da cidade e a conservação da natureza”, evidencia. Otávio Ferrari Filho, vice-presidente da ONG FloripAmanhã, enfatiza que é de extrema importância e necessidade a limpeza contínua da região central para receber bem os visitantes. “O centro histórico é a menina dos olhos dos turistas que vêm a Florianópolis. Por isso, ele precisa estar ‘bem vestido’ para receber as pessoas”, ressalta.

O GIRS conta com cerca de 50 entidades representativas, públicas e privadas, que se dispõem a estudar, debater e encontrar soluções para a problemática dos resíduos sólidos de Florianópolis. ONG Nosso Lixo, CDI (Comitê para Democratização da Informática-SC), COMCAP, Banco do Brasil, ICOM e Instituto Vonpar também participam do grupo.

spot_img
spot_img