22.6 C
fpolis
quinta-feira, maio 26, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Congresso em Florianópolis projeta voos altos para a Aviação Agrícola

spot_img

Congresso em Florianópolis projeta voos altos para a Aviação Agrícola

spot_imgspot_img

Termina hoje à tarde, o XX Congresso Mercosul e Latino Americano de Aviação Agrícola, no Costão do Santinho, em Florianópolis. A expectativa do Sindag é de fechar os três dias de programação tendo reunido um público em torno de 1 mil empresários, pesquisadores e pilotos do setor aeroagrícola. Isso além dos cerca de 40 expositores de equipamentos e tecnologias.

No balanço geral dos encontros, ficou clara a boa perspectiva de crescimento para o setor aeroagrícola, que deve chegar a 30% nos próximos três anos. Atualmente, o Brasil tem a segunda maior frota mundial de aviões agrícolas, com mais de 1,5 mil aeronaves (atrás apenas dos Estados Unidos). Também se ressaltou o interesse das empresas estrangeiras de pegarem carona nesse crescimento.

“Em 2010, produzimos 123 aviões em nossa fábrica nos Estados Unidos. E 56% dele foram vendidos para o Brasil e outros países da América do Sul”, comentou o presidente da Air Tractor Inc., Jim Hirsch, que veio ao Brasil especialmente para o evento. “Para 2012, nossa produção será 170 aeronaves”, completou o norte-americano. Já a brasileira Embraer, que produz o Ipanema, entrou 2011 projetando vender 40 aviões. Já vendeu 56 e mais um estava para ser vendido no congresso.

Segundo o ex-ministro da Agricultura do governo Lula, Roberto Rodrigues, que também palestrou no evento do Sindag, “a produção mundial de alimentos deverá ser dobrada em 18 anos, para atender a demanda.” E isso vai depender muito do emprego de alta tecnologia, justamente onde se encaixam os aviões. “O Brasil tem hoje 49 milhões de hectares plantados com grãos. Se tivéssemos hoje a mesma produtividade de há 10 anos, seriam necessários mais 57 milhões de hectares para colher a mesma quantidade de produtos”, comparou o ex-ministro.

Os empresários aeroagrícolas também saem do encontro em Santa Catarina comemorando boas notícias quanto à regulamentação do setor. É que a Agência Nacional de Aviação Civil confirmou que o novo Regulamento Brasileiro de Aviação Civil (RBAC) 137 deve ser publicado até agosto. O documento chega depois de 10 anos de tratativas entre o Sindag e a ANAC e com pelo menos 90% dos pleitos do setor aeroagrícola atendidos. Entre as mudanças, está a regulamentação de aeronaves para uso de etanol.

spot_img