15.6 C
fpolis
quarta-feira, setembro 22, 2021
cinesytem

Encerra a primeira etapa da Campanha Infância e Adolescência Protegidas

spot_img

Encerra a primeira etapa da Campanha Infância e Adolescência Protegidas

spot_img

A ação, que vai permanecer ativa durante o ano inteiro, deve ter nova intensificação no Carnaval de Florianópolis

Foi encerrada neste sábado (05/02), a primeira ação da Campanha Infância e Adolescência Protegidas, que ocorreu de 2 a 5 de fevereiro, promovida pela SEMAS.

Marcada por uma intensa mobilização nas praias, shoppings e na região central da cidade, a ação buscou conscientizar turistas, comerciantes e munícipes a combater a exploração sexual e de trabalho infantil.

Durante estes dois últimos dias, acompanhada pela Guarda Municipal de Florianópolis, a equipe da Campanha realizou uma grande mobilização na região do Mercado público – uma das áreas onde há a maior incidência de crianças nesta situação.

Turistas que estavam nos bares, nas peixarias e nas lojas do Mercado, foram abordados e alertados para não comprar objetos de crianças e adolescentes, já que isso mantém os menores como vítimas, sendo explorados pelos seus responsáveis. Os comerciantes também receberam informações e materiais para inibir a exploração.

Em menos de duas horas de mobilização, na sexta-feira (04/02), três famílias foram encaminhadas para o Conselho Tutelar. As crianças – de cinco anos – foram pegas vendendo doces, enquanto os pais aguardavam sentados próximo dali.

A Conselheira Tutelar Ana Paula Cirino explica que as famílias pegas em flagrante, são encaminhadas para o Conselho próximo ao bairro onde residem, recebem uma advertência, assinam um termo de compromisso, é feito um Boletim de Ocorrência e acionado o Ministério Público. Se o caso for de reincidência, a família pode perder a guarda da criança.

“Trabalhamos para enfraquecer a rede de compra desses objetos vendidos pelas crianças para, a partir disso, conscientizar, responsabilizando os tutores e oferecendo em troca o encaminhamento da família para um dos programas de apoio”, explicou a Ana Paula.

Esta primeira fase da Campanha termina com saldo positivo. Conforme um relatório comparativo, realizado pelo Disque Denúncia local, durante a ação ouve um aumento significativo de denúncias. Em alguns dias comparados, o relatório mostra que, o número de denúncias triplicou, enquanto a ação estava sendo realizada – as denúncias que cabiam à Equipe de Abordagem de Rua, pela vulnerabilidade em que os menores se encontravam.

O Carnaval de 2011 na Capital deve ser o próximo período de intensificação da Campanha, que deve continuar durante o ano inteiro para combater a exploração sexual e de trabalho infantojuvenil.

Mais informações, pelos telefones: (48) 3251-6267 e 3251-6215.

spot_img
spot_img

Leia mais