19.1 C
fpolis
quinta-feira, dezembro 2, 2021
cinesytem

Exposição divulga arte e cultura afro-brasileira em Florianópolis

spot_imgspot_img

Exposição divulga arte e cultura afro-brasileira em Florianópolis

spot_img

A cultura do amor não discrimina a cor. A frase escolhida como tema da campanha do Mês da Consciência Negra em Florianópolis também dá nome à exposição que será aberta nesta sexta-feira (18/11), às 19h, na Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti, no Centro. Promovida pela Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes (FCFFC) e Coordenadoria de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial (Coppir), a mostra divulga obras de três artistas negros que se destacam no cenário das artes plásticas catarinenses.

Ao todo, serão expostas 15 obras de Tercília dos Santos e Décio David, além de um quadro de Valda Costa (1951-1993), pertencente ao acervo da artista plástica Vera Sabino. As pinturas retratam aspectos do modo de vida simples dos catarinenses e a riqueza da cultura local, sob o olhar desses artistas Naïf. O texto de apresentação é assinado pela professora de artes Márcia Battistella.

A exposição “A Cultura do Amor não Discrimina a Cor” pode ser visitada até dia 9 de dezembro, gratuitamente, de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h. A programação faz parte da agenda cultural alusiva ao Mês da Consciência Negra, que até 30 de novembro reúne diversas atividades para valorização, fortalecimento e divulgação da identidade e da cultura negra de Florianópolis.

Valda Costa

Vivalda Costa nasceu em 1951, no Morro da Coloninha, na região continental, e viveu no Morro do Mocotó, no Maciço do Morro da Cruz. De origem pobre, a jovem artista destacou-se na cena catarinense como Valda Costa, pintando o morro, os casarios e as figuras humanas, revelando um olhar próprio sobre o cotidiano da cidade entre os anos 1970 e 1980.
Valda expôs sua arte pelo Brasil e no exterior. Conviveu com artistas como Max Moura, Vera Sabino, Janga, Loro, Vecchietti, Meyer Filho e Martinho de Haro, que muito influenciou sua arte. Entretanto, o glamour do início da carreira deu lugar ao sofrimento imposto por problemas de saúde. Enfrentando extrema dificuldade financeira – tendo inclusive que trocar quadros por alimentos para sobreviver – Valda morreu pobre, aos 42 anos, em 1993, sem o devido reconhecimento.

Décio David

Décio David transita com segurança nas diversas linguagens artísticas e demonstra segurança no domínio das cores relacionadas aos temas que enfatiza em sua arte: os folguedos folclóricos do boi de mamão, mulatas e negros. Nas obras, reforça a paixão e o orgulho pela cultura negra, aprofundando sua pesquisa no que denomina cultura “afro-açoriana”. Artista multifacetado e autodidata, David atua, escreve, pinta, interpreta e explora com desenvoltura toda a sua criatividade e talento.
Detentor dos títulos honorífico de cidadão catarinense e ilhéu, Décio David divide espaço em galerias de arte com grandes nomes como Anita Malfatti, Guid Nardi, Portinari, Nanabu Mabe e Di Cavalcanti. É também cidadão honorário de Palhoça, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados ao município em especial projetos culturais e sociais realizados por meio do centro cultural que fundou no município e que leva o nome do avô – o músico, cronista, maestro e poeta catarinense João Rosa Júnior (1882-1932), autor do dobrado “Dai a César o que é de César”.

Tercília dos Santos

Natural de Piratuba, no extremo oeste catarinense, Tercília dos Santos registra em sua obra cenas da infância vivida no campo, representadas por imagens de animais, paisagens e crianças, destacando em cores fortes e marcantes o colorido rural de Santa Catarina.
Autodidata, Tercília fez a primeira exposição em 1990. Respeitada e reconhecida como uma das fortes representantes da Arte Naif Brasileira, realizou várias exposições e recebeu muitas premiações, entre as quais se destacam o prêmio de aquisição na Bienal Internacional de Arte Naïf de Piracicaba (SP), menção honrosa no 1o Salão Santos Dumont de Florianópolis (SC).

Serviço:

O Quê: Exposição “A Cultura do Amor não Discrimina a Cor”
Obras de Valda Costa, Tercília dos Santos e Décio David

Quando: sexta-feira (18/11) – 19h
Visitação de 21 de novembro a 9 de dezembro
De segunda a sexta-feira – 10h às 18h

Onde: Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti
Praça 15 de Novembro, 180 – Centro / Florianópolis-SC

Quanto: gratuito

spot_img
spot_img