24.4 C
fpolis
domingo, janeiro 23, 2022
cinesytem

Florianópolis sedia o VI Congresso das Associações de Parkinson do Brasil

Florianópolis sedia o VI Congresso das Associações de Parkinson do Brasil

spot_img

A Associação de Parkinson de Santa Catarina (APASC) em conjunto com o Núcleo de Estudos da Terceira Idade (NETI) da UFSC, promove de 4 a 6 de maio, no auditório do SESC em Cacupé, o VI Congresso das Associações de Parkinson do Brasil. O evento é gratuito e aberto à comunidade. A ideia é debater as formas de diagnóstico e enfrentamento da doença com apoio da família e associações. O mal de Parkinson é a segunda doença mais comum entre os idosos.

No Brasil, conforme dados da Associação Parkinson Brasília, existem cerca de 200 mil pessoas com a doença. A professora Ângela Maria Alvarez, coordenadora do NETI, explica: O congresso é uma forma de congregar as experiências obtidas entre as associações de todo o país, abrindo a possibilidade de conhecer o que já foi feito no âmbito das políticas públicas.

O ‘Pedala Parkinson’ abre as atividades do Congresso. O passeio terá inicio às 15h, em frente ao bar do Centro de Ciências da Saúde (CCS). Os ciclistas seguirão até o início da avenida Beira-mar Norte. Dali o trajeto segue até o TITRI, para retornar ao ponto de partida no CCS. “O passeio mostra aos portadores a importância da atividade física e da socialização, trabalhando a auto-estima”, comenta Diogo Reis, voluntário e membro do grupo de ciclistas Caminhos do Sertão.

No dia 5 o congresso conta com a presença da presidente da Associação Mundial de Parkinson, a argentina Sarah Sidoti, que vai falar sobre “As Associações de Parkinson na América Latina”. Haverá também apresentação de pôsteres e artigos com temas específicos sobre a doença.

O mal de Parkinson é uma doença crônica caracterizada por tremores, lentidão nos movimentos e rigidez na postura. De acordo com Luiza Britto, presidente da APASC e portadora da doença “Ainda não existe um exame laboratorial que faça o diagnóstico. A doença é progressiva e deve ser tratado logo que surgirem os primeiros sintomas, como tremores e falta de equilíbrio”.

A APASC,em conjunto com NETI/UFSC, mantem um grupo de ajuda mútua aos portadores, com os quais realiza atividades recreativas como aulas de bocha e musculação. O grupo conta com o apoio de um fonoaudiólogo e um psicólogo voluntário.

Os portadores de Parkinson conseguem obter grande parte dos medicamentos na Farmácia Escola da UFSC. Através da APASC são atendidos em torno de 60 portadores. O congresso conta com o apoio da Assembléia Legislativa de Santa Catarina.

Mais informações: http://www.parkinson-sc.com.br/ e3721-9445 (Neti/UFSC); 3721-6651(Apasc/SC)

spot_img
spot_img