22.6 C
fpolis
domingo, setembro 19, 2021
cinesytem

Infraero apresenta novos ajustes no cronograma das obras do aeroporto de Florianópolis

spot_img

Infraero apresenta novos ajustes no cronograma das obras do aeroporto de Florianópolis

Entregar o novo Aeroporto Internacional Hercílio Luz em março de 2014 virou uma promessa mais difícil de cumprir. A Infraero apresentou nesta terça-feira novos ajustes no cronograma das obras de R$ 436 milhões para a ampliação do terminal, que opera quase duas vezes e meia acima de sua capacidade de passageiros hoje.

Confira os detalhes do novo aeroporto

Em maio de 2010, a estatal que administra o aeroporto, o governo estadual e a prefeitura assinaram um acordo de cooperação, para a execução do projeto, dividido em duas etapas.

Menos de um ano depois, alguns dos prazos estipulados já venceram. Um exemplo: o projeto da primeira etapa, para a construção de nova pista, taxiway (pista de manobra dos aviões) e do pátio para aeronaves, previsto para agosto de 2010, foi finalizado pela Infraero apenas em dezembro. A licitação deve ser aberta em março, com expectativa de execução em agosto. Isso se não houver mais nenhum contratempo. Faltam licenças ambientais e a desapropriação de terras. Inicialmente, os trabalhos começariam em maio.

A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) solicitou documentos complementares da Infraero, que foram entregues apenas no final de janeiro, segundo o presidente do órgão ambiental, Murilo Flores.

A segunda etapa engloba a construção do novo terminal de passageiros, seis vezes maior do que o atual e com cinco fingers (pontes de embarque até o avião). Ela depende da conclusão do projeto da Infraero para que a licença de instalação seja solicitada à Fatma. A promessa anterior, de que o projeto do novo terminal estará pronto até junho, continua mantida.

As duas fases da ampliação já possuem licença ambiental prévia. Restam as licenças de instalação, obrigatórias para o início das obras.

— Como este é um projeto de interesse público, que tem prioridade absoluta sobre qualquer outro, até o final deste mês deve sair a licença para o documento que temos em mãos agora — prevê Flores.

Para sair do papel, o terminal ainda depende de desapropriações de terrenos — que precisam ser aprovadas pela Câmara de Vereadores.

O vereador César Faria (DEM) solicitou uma audiência pública para discutir o assunto — mas ainda não há data para o tema ser debatido.

Além disso, será necessário comprar uma área de propriedade da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Nesta segunda-feira, o secretário de Estado do Planejamento, Filipe Mello, com quem os representantes da Infraero se reuniram, garantiu que o terreno será adquirido no prazo de 45 dias pelo governo estadual.

O superintendente Regional Sul da Infraero, Carlos Alberto da Silva Souza, disse que licitação para o terminal será lançada até setembro, com as obras começando em março de 2012.

— Mantemos o cronograma previsto para que todas as obras estejam concluídas em 2014 — garantiu.

Desde 2004, as promessas da Infraero vêm sendo sistematicamente descumpridas. Em 2007, quando o projeto entrou no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a previsão era que os trabalhos iniciassem no ano seguinte. Em abril de 2008, a estatal abriu uma licitação, que não teve empresas interessadas.

Depois deste episódio, a Infraero decidiu reavaliar o projeto, considerado defasado por prever aumento da capacidade do Hercílio Luz para 2,7 milhões de passageiros por ano, movimentação alcançada em 2010.

Segundo Souza, o novo Hercílio Luz comportará até 8,5 milhões de passageiros por ano quando operarem os dois terminais, movimento maior do que o atual dos aeroportos de Curitiba e Porto Alegre.

spot_img
spot_img

Leia mais