18.9 C
fpolis
quinta-feira, dezembro 2, 2021
cinesytem

Max Gehringer encerra o Encontro Catarinense do Terceiro Setor em Florianópolis

spot_imgspot_img

Max Gehringer encerra o Encontro Catarinense do Terceiro Setor em Florianópolis

spot_img

Evento promoveu o debate sobre carreira, emprego, empreendedorismo e a profissionalização do voluntariado

Palestras marcaram o segundo dia do 6º Encontro Catarinense do Terceiro Setor, maior evento do setor no estado, e de grande importância para ONGs, fundações e associações sem fins lucrativos. Destaque para os palestrantes João Batista Thomé, Vanderson Berbat, Rodrigo Leite e Max Gehringer O evento foi realizado no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis e teve como tema de discussão é “A evolução na profissionalização do Terceiro Setor”.

O coordenador do Movimento Nós Podemos Santa Catarina, João Batista Thomé, palestrou sobre a profissionalização do setor, e ressaltou a importância da capacitação daqueles que desejam atuar na área. Segundo ele, não basta querer, deve-se estar preparado para as situações, tanto emocionalmente, quanto tecnicamente.

Já Vanderson Berbat, do Instituto Unibanco, mostrou a importãncia de se investir em educação, principalmente na capacitação de jovens aprendizes para o mercado de trabalho. Em sua opinião, os programas de proteção devem ser planejados para também proporcionarem a independência e a melhoria na qualidade de vida das pessoas, de forma que elas dependam dos programas por tempo determinado.

Um dos participantes do evento, Mário Jonas Fernandes, atua como voluntário há quase 20 anos. Segundo ele, é necessário que haja a preocupação em se profissionalizar, para que as organizações sejam estruturadas e possuam pessoas capacitadas trabalhando, para assim, exercer um bom trabalho.

Uma das palestras mais esperadas foi a de Max Gehringer, apresentador dos quadros “O conciliador” e “Meu primeiro emprego” do Fantástico. Gehringer comentou sobre a necessidade de profissionais técnicos no Brasil, incentivou os jovens para se comprometerem em movimentos e organizações sociais, além de dar dicas para aqueles que buscam inserção no mercado de trabalho. “Nenhuma experiência é inútil. Em algum momento da sua vida, ela poderá fazer toda a diferença em uma seleção de emprego. Não adianta ter um currículo acadêmico com muita teoria e pouca prática”, explicou Max Gehringer durante sua palestra.

Já outra participante do evento, a gerente de vendas Ana Carolina Souza, ressaltou a importância do evento para os jovens. “As palestras me despertaram o interesse para o Terceiro Setor, e a palestra do Max Gehringer, sobre carreira, foi fora de série”, completa.

A educadora do programa menor aprendiz, da FUCAS, Liliane Marciano Alves, comentou que é um diferencial muito grande para as organizações poder discutir sobre a profissionalização do Terceiro Setor, associando a questão ao bem estar da comunidade, e também dos voluntários.

O 6º Encontro Catarinense do Terceiro Setor teve mais de 700 participantes e foi promovido pela FUCAS, fundação com projetos de assistência social, capacitação profissional e educação ambiental para adolescentes em Florianópolis e em diversos municípios catarinenses.

spot_img
spot_img