22.6 C
fpolis
domingo, novembro 28, 2021
cinesytem

Provinha Brasil: Alunos da Prefeitura de Florianópolis estão acima da média

spot_img

Provinha Brasil: Alunos da Prefeitura de Florianópolis estão acima da média

spot_img

A maioria já chegou a níveis esperados para o término do segundo ano de escolarização

Os resultados da Provinha Brasil, aplicada na rede municipal de ensino de Florianópolis, entre estudantes de sete e oito anos do segundo ano do Ensino Fundamental, demonstraram que as crianças atingiram níveis de aprendizagem acima da expectativa. Um total de 66%, de 1502 alunos, já chegaram a níveis esperados para o término do segundo ano de escolarização. A Provinha Brasil, feita em conjunto com o Ministério da Educação, permite à rede pública de ensino diagnosticar e verificar os estágios de alfabetização e letramento das crianças.

O nível 5 foi atingido por 36% dos alunos que realizaram a provinha. Isto implica dizer que alcançaram o domínio do sistema de escrita e a compreensão do princípio de alfabetização. Os 30% do nível 4 lêem textos de 8 a 10 linhas na ordem direta e são capazes de localizar informações e realizar alguns comentários. O nível 3 (25%) exige que a criança demonstre capacidade de ler palavras de diferentes tamanhos e padrões silábicos e ler frases simples.

Desde a implantação do ensino de 9 anos na rede municipal, a Secretaria de Educação tem feito um acompanhamento sistemático nos anos iniciais, querendo garantir que toda a criança até 8 anos de idade esteja alfabetizada. O acompanhamento tem se dado com assessorias às escolas e formação continuada dos docentes, observa Pedro Rodrigues, Diretor do Ensino Fundamental (DEF).

Pelo terceiro ano, a Secretaria vem fazendo a sistematização dos resultados da Provinha Brasil para que os professores tenham indicadores que possibilitem a análise e o encaminhamento de práticas diferenciadas de aprendizagem, complementa Rosane Immig, Gerente de Articulação Pedagógica. A provinha mostra em que nível as crianças se encontram individualmente, na turma e na rede de ensino. “Assim sendo, o professor tem condições de redirecionar sua ação pedagógica para melhorar o nível de alfabetização dos alunos”, assinala Rosane Immig.

spot_img
spot_img