14.7 C
fpolis
quinta-feira, outubro 21, 2021
cinesytem

Abertura oficial do FAM 2021

spot_img

Abertura oficial do FAM 2021

spot_img

Resistência. Essa foi a palavra mais citada durante a abertura oficial do 25º Festival Internacional de Cinema Florianópolis Audiovisual Mercosul, o FAM 2021. Com apresentação da diretora de comunicação, Alissa Azambuja, o primeiro a falar no evento, ao vivo, transmitido pelo YouTube e Facebook nesta quinta-feira (23), foi o diretor geral, Antonio Celso dos Santos, que começou dizendo que sente-se muito honrado em resistir há 25 anos. “O momento atual do Brasil é muito sério e é muito preocupante que a indústria cultural e cinematográfica entrem em colapso, mas a gente resiste, insiste e continua com bons filmes”, afirmou.

Ele ressaltou, ainda, a importância de festivais que destacam o mercado audiovisual do Mercosul, do Brasil e de tantos outros países da região, bem como une grandes e talentosos profissionais do audiovisual, como Assunção Hernandez, que estava presente de forma on-line.

E, lembrando todas as pessoas que fazem o evento acontecer, Celso agradeceu a toda equipe do FAM, aos parceiros e patrocinadores, além de um agradecimento especial ao Instituto Federal de Santa Catarina – IFSC, onde foi montado um estúdio especialmente para o Festival em 2021. Por coincidência, no mesmo dia em que o FAM celebra o início da 25ª edição, a instituição comemora 112 anos, nos quais, como afirmou o diretor geral do IFSC campus Florianópolis, Zízimo Moreira Filho, atua fortemente na formação da arte e da cultura, mesmo sendo uma escola técnica e de tecnologia. Uma das provas disso, é que Franklin Cascaes foi professor do IFSC por quase 40 anos.

O diretor executivo do FAM, Tiago Santos, também agradeceu a todos, não sem antes relembrar os anos em que estudou no curso “Técnico em saneamento ambiental” da instituição. “Fico muito feliz por realizar o FAM aqui no IFSC, principalmente no ano em que estamos lançando o selo EcoVision para as produções que se comprometerem com práticas sustentáveis durante os trabalhos”, reforçou.

Quem fez questão de estar presente, mesmo que on-line, foi a diretora de programação do FAM, Marilha Naccari, que acabou de dar à luz ao seu primeiro filho. Ela reforçou que sempre a encantou o fato de o Festival ser feito para a América do Sul, incentivando que todos conheçam culturas de países próximos ao Brasil, mas que muitas vezes não são valorizadas. “Conhecer outras culturas e outros países, perceber como somos grandes e potentes enquanto povos, isso é muito importante”, disse.

Convidados para estarem na abertura oficial do evento, Gringo Star, presidente do Funcine, Vinícius de Luca, superintendente de turismo de Florianópolis e Fabio Botelho, presidente da Fundação Franklin Caescaes agradeceram e reconheceram a importância do Festival, não apenas para Florianópolis e Santa Catarina, como também para todo o Brasil.

Anacleto Angelo Ortigara, diretor de administração e finanças do Sebrae/SC, patrocinador do evento, representou o presidente da instituição, Carlos Melles, colocando a entidade como mais que patrocinadora, mas também amiga e parceira do Festival: “onde quer que o FAM possa ecoar, estaremos juntos!”, diz Ortigara.

Vale destacar que Fábio Botelho disse estar muito feliz com as ações que o prefeito já autorizou e encaminhou com relação ao setor audiovisual em Santa Catarina, e informou que foram quitadas as dívidas que existiam com o cinema catarinense e, de acordo com ele, cerca de R$ 1 milhão será destinado para o setor.

“Sabemos que ainda é preciso avançar muito nesses valores, mas pelo menos foi possível lançar o edital em dois anos consecutivos. É preciso estarmos cada vez mais juntos para nos prepararmos para o que vem pelo futuro que é muito positivo e promissor. Talvez sejamos a mola propulsora da retomada da economia”, afirmou Fábio.

A notícia foi comemorada no palco do FAM e o incentivo foi reforçado por Tiago: “o fomento ao ecossistema é muito importante mesmo. O valor investido na cultura é retornado para todas as áreas, valendo o dobro”.

Reflexão, o tema!

Convidados para fazer uma conversa sobre o tema que, pela primeira vez em 25 anos, estava definido antes mesmo das inscrições para o evento, a produtora brasileira Assunção Hernandez, e o ator argentino Jorge Román, mostraram carinho, respeito e a valorização da sétima arte produzida no Mercosul.

Assunção contou que se o festival existe há 25 anos, ela o acompanha há, pelo menos, 20. Seja participando ativamente ou lendo sobre o evento, assistindo aos filmes posteriormente e, até mesmo, torcendo muito para que o Festival continue para sempre. Enquanto existir Santa Catarina – e ela vai existir sempre – o FAM vai existir. “A nova geração já está chegando e vai dar continuidade a este Festival que tem uma enorme capacidade de resistência! Mesmo quando parece que não vai conseguir ser realizado, ele acontece e é fundamental para nos reunir”, contou.

Em cartaz no FAM 2020 com o filme “Matar a um Morto”, Jorge ressaltou a diversidade de propostas do festival, que não perde o caráter familiar e amigável, reforçando que principalmente durante a pandemia, eventos como esse parece que são propulsores de alegria e têm um poder tão grande que parece que vai contra qualquer pandemia.

Aproveitando o gancho para a Reflexão, Jorge ainda deixou uma pergunta: “quantas vezes temos a possibilidade de conhecer a cara de atores da América do Sul? Nós, latinos, conhecemos o rosto de atores norte americanos muito mais que os do Brasil, da Colômbia, do Uruguai”. Ele observou que se não fossem os festivais, como o FAM, os próprios profissionais da área não se conheceriam e nem teriam a oportunidade de falar sobre suas produções, de trocar experiências, fazer contatos e ter uma integração real com outros atores e realizadores.

A diretora Kátia Klock, do filme convidado “Quem precisa de identidade”, também pode participar da conversa interagindo com Assunção que afirmou que é um desastre os acontecimentos no Brasil ultimamente, mas disse que isso tudo vai passar, o Brasil vai crescer e todos vão crescer juntos. “O cinema brasileiro vai voltar forte, amadurecido e com apoios que perdeu no meio do caminho por questões que não dependem só de nós”, finalizou.

Assim, com agradecimentos finais de todos os diretores e convidados, foi dada a largada para o FAM 2021.

Toda a programação pode ser conferida no site: www.famdetodos.com.br/programacao.

O 25º Florianópolis Audiovisual Mercosul tem o patrocínio do Sebrae e é uma realização da Associação Cultural Panvision e Muringa Produções Audiovisuais.

Foto: Abertura FAM2021, foto Daniel Guilhamet

editor.deolhonailhahttp://www.deolhonailha.com.br
O DeOlhoNaIlha é um portal de propriedade da NacionalVOX - Agência Digital, de Florianópolis. Seu lema é "Fique por dentro de Floripa" e seu objetivo é deixar os moradores e visitantes da Ilha da Magia muito bem informados sobre tudo o que acontece na cidade e região.
spot_img
spot_img