fique por dentro de floripa

- Geral - Baile místico reacende histórias e fantasias em torno da Praça XV

27.09.2019

Baile místico reacende histórias e fantasias em torno da Praça XV

27.09.2019
Baile místico reacende histórias e fantasias em torno da Praça XV
Foto: Praça XV / Arquivo deolhonailha.com.br

A Ilha vai poder respirar a sua cultura na próxima sexta-feira, 4, quando bruxas, boitatá, bernunça e outras figuras folclóricas serão os principais personagens do Baile Místico, na Praça XV, no ritmo descontraído das bandas Amor à arte e Cores de Aidê e da harmonia e ternura dos bonecos do Berbigão do Boca. O cenário inspira o rebatismo da Ilha, com suas histórias e riquezas culturais, como as pinturas que brilham em paredes de edifícios, lembrando duas figuras exponenciais da nossa história: o poeta Cruz e Sousa e a professora e primeira deputada estadual Antonieta de Barros. A aragem  cultural do centro, onde a prefeitura investe na revitalização de patrimônios, concentra casarões, palácios, catedral, mercado público, casa da Alfândega. A sinergia da cultura e de um rico passado flora no centro histórico, como se Floripa anunciasse a sua própria redescoberta.

O entusiasmo com a revitalização cultural da cidade contagiou órgãos, professores, agentes culturais, empresários, universidades. “Imagine termos um verão com a nossa cultura acesa em toda a cidade, balneários, teatros...” projeta a jornalista Isabel Orofino, que integra o grupo responsável pela realização do Baile Místico.

“Sim, claro, é o ponta pé inicial. Enquanto lá fora outubro é de Halloween, aqui será o mês das bruxas de Franklin”, aposta Gelci José Coelho, Peninha, um dos principais responsáveis pela preservação das figuras místicas criadas pelo folclorista Franklin Cascaes. Ele acredita que o Baile Místico será a grande referência para banhar Floripa com as águas de uma cultura riquíssima.

PROGRAMA QUE ENCANTA

Se o verão dos anos 60 e 70 foi marcado pelo carnaval característico da Ilha, com blocos e foliões girando em torno da Praça XV, outubro de 2019 tende a revitalizar a força da musicalidade e do misticismo da Ilha. O Cortejo Baile Místico vai seguir as mesmas pisadas carnavalescas, com o Berbigão do Boca, um dos mais expressivos blocos de Floripa, puxando o cordão em torno da praça e em ruas do centro.

Mas a programação inicia-se às 12 horas do dia 4 com a abertura da Feira de Artes, Artesanato e Gastronomia, no Pátio da Antonieta, onde as pessoas, de copo na mão, poderão realizar experimentos, além de apreciar e adquirir obras artesanais, que coloca Floripa entre os principais centros de criatividade artística do país. Às 13h30m, no Museu da Escola de Santa Catarina, na rua Saldanha Marinho, inicia-se uma discussão, aberta ao público, intitulada “Berro por Desterro”. E de lá sairão os “Fantasmas de Anhatomirim”, para lembrar os 125 anos da brutalidade praticamente pelo governo de Floriano Peixoto, que mandou o coronel Moreira César à Desterro para eliminar 187 pessoas simpáticas ao movimento federalista. A festa em torno da praça começa às 18 horas, sem horário para acabar.

POR QUE NÃO?

“Quem sabe esse evento motive a cidade a repensar e “descariocar” o carnaval, disse o empresário Roberto Costa, que em 1986 viabilizou, com a UFSC, o resgate e publicação das antigas músicas carnavalescas da Ilha, em disco e publicação intitulados “150 anos do Carnaval da Ilha”.

“A rosa brigou com o jasmin, ficou tão triste, sozinha, quando vieram lhe contar que ele namorou a margarida”, foi um dos sucessos musicais, ao lado de “Canção de Amor à Ilha”.

Roberto sugere uma conexão entre o projeto da prefeitura, de revitalização do eixo cultural da cidade, e o resgate da riqueza histórica. “Está na hora de a Ilha deixar de ser vista pelas suas 100 praias”, desafiou.

“É muito valioso esse esforço de se discutir e recuperar a sacralidade, do sacro e da mitologia, na dimensão da essência de toda a raiz cultural da cidade”, aplaude o padre Vilson Groh, conhecido pelo seu trabalho de assistência social às pessoas residentes em bolsões de pobreza.- Esse trabalho, que começa com Baile Místico, significa a recuperação da saúde da ilha, das pessoas que moram nela; é a expressão do coletivo, contra o individualismo, e ajuda a exorcizar processos da história, como os assassinatos na Ilha de Anhatomirim, salienta o vigário.     

Conteúdos relacionados

Ver mais conteúdos

Campanha do agasalho incentiva a solidariedade em tempos de coronavírus em Florianópolis

25.05.2020

Campanha do agasalho incentiva a solidariedade em tempos de coronavírus em Florianópolis

OAB/SC lança campanha e faz alerta sobre fraudes que ampliam golpes na pandemia

22.05.2020

OAB/SC lança campanha e faz alerta sobre fraudes que ampliam golpes na pandemia

Dígitro Tecnologia realiza doação de máscaras em Florianópolis

21.05.2020

Dígitro Tecnologia realiza doação de máscaras em Florianópolis

Saiba mais sobre Florianópolis no deolhonailha.com.br O DeOlhoNaIlha é um portal de propriedade da NacionalVOX - Agência Digital, de Florianópolis. Seu lema é "Fique por dentro de Floripa" e seu objetivo é deixar os moradores e visitantes da Ilha da Magia muito bem informados sobre tudo o que acontece na cidade e região.

Anuncie no portal.
Entre em contato.