Florianópolis, 12 de julho de 2024

BRDE destina R$ 5,9 milhões para projetos sociais, esportivos, culturais e saúde em 2023

spot_img

Velejador olímpico Bruno Fontes leva estrela ACIF para Paris 

As Olimpíadas de Paris 2024 se aproximam e Florianópolis...

Abertas as inscrições para o Projeto Rally Panvision

A sexta edição da Maratona Cinematográfica realizada no Festival...

Aeroporto de Florianópolis conquista primeiro lugar no Prêmio Aeroportos Sustentáveis da ANAC

5ª edição do programa Aviação Sustentável premiou iniciativas capazes de...

CASAN melhora a rede de distribuição no Canto da Lagoa

O Canto da Lagoa é um dos lugares mais...

Compartilhe

Todos os anos, milhares de entidades buscam recursos para manter suas atividades e dar andamento aos projetos sociais nos municípios. Por meio das leis de incentivo fiscal, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) contribui para que os trabalhos sejam realizados. Em 2023, o banco fez um aporte de R$ 5,9 milhões, para apoiar cerca de 150 projetos nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, e Paraná, que beneficiarão públicos de todas as idades com ações de assistência social, educação, cultura, esporte e saúde. Nos últimos cinco anos, o montante aplicado pelo BRDE na região Sul já ultrapassa a marca de R$ 22,8 milhões.

Do total de 150 projetos apoiados em 2023, 64 são da área de Cultura/Audiovisual; 26 de Fundos da Criança e do Adolescente; 31 são propostas para o Esporte; 17 de Fundos do Idoso; 12 de PRONON e PRONAS, ligados aos atendimentos em oncologia e pessoa com deficiência, respectivamente.

Em Santa Catarina, foram ao todo 43 projetos aprovados com um montante de R$ 1,98 milhão. “Nosso papel como banco de desenvolvimento não é apenas emprestar recurso, é de fato gerar desenvolvimento, gerar qualidade de vida. O financiamento é um meio pelo qual fazemos isso, e temos também olhado para outras ações além do crédito. Os projetos sociais desemprenham um papel fundamental na transformação de uma sociedade. São iniciativas que visam minimizar a desigualdade social e promover também o desenvolvimento”, afirma o presidente do BRDE, João Paulo Kleinübing.

Todos os anos, o banco recebe inscrições, exclusivamente em meio eletrônico, para projetos que já tenham obtido aprovação oficial para captar recursos por meio dos seguintes mecanismos: Lei Federal de Incentivo à Cultura/Lei do Audiovisual; Lei Federal de Incentivo ao Esporte; Fundos da Infância e da Adolescência; Fundo Nacional do Idoso; Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) e Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS).

“Os incentivos fiscais integram a Política de Responsabilidade Socioambiental do BRDE tem a missão de promover e liderar ações de fomento ao desenvolvimento econômico e social. Parte do imposto permanece na nossa região e viabiliza projetos com impactos sociais, culturais e esportivos relevantes”, destaca o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos, Mauro Mariani.

Investimento na saúde

Fundado há 87 anos em Jaraguá do Sul, o Hospital São José, referência no atendimento em urgência e emergência adulto, foi contemplado com a destinação de R$100 mil reais via Projeto de Lei de Incentivo Fiscal ao Idoso. O Programa 60 + Melhor Idade foi escolhido para receber os recursos aplicados na aquisição de macas, cadeiras de rodas, equipamentos cirúrgicos, materiais hospitalares e ampliação dos atendimentos com os profissionais de saúde.  A unidade, que possui certificação de Entidade Beneficente de Assistência Social e Instituição filantrópica, possui 231 leitos de internação e realizou quase 200 mil atendimentos entre Pronto Socorro e clínica São José até o ano passado, sendo 75% deles pelo SUS. Atualmente, conta com mais de 1 mil colaboradores.

Outro exemplo em Santa Catarina, é o Bairro da Juventude, de Criciúma, no Sul do Estado. A instituição tem 70 anos de história voltados ao atendimento gratuito de 1,5 mil crianças, adolescentes e jovens em risco social. “Existem três grandes vantagens para que os doadores colaborem com nossa Instituição por meio do Imposto de Renda. Primeiro, o recurso fica no estado; segundo, pode acompanhar o investimento, ver o que temos realizado com as doações; e terceiro, ajudamos uma causa social. Esse fluxo de solidariedade certamente alcança quem mais precisa”, ressalta o diretor de Projetos do Bairro da Juventude, Anézio Luiz de Souza.