15.5 C
fpolis
sexta-feira, julho 1, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Como utilizar minha marca em produtos importados

Como utilizar minha marca em produtos importados

spot_imgspot_img

É possível importar um produto com marcas próprias? Acredito que você busca mais que um simples sim como resposta. Por isso, neste artigo você entenderá mais sobre OEM (Fabricante de Equipamento Original) e benefícios destes produtos para varejistas e fornecedores. E encontrará um panorama do setor e um breve resumo sobre vantagens e desvantagens de importar produtos da China.

Importar com marcas próprias

A possibilidade de importar produtos com especificidades exclusivas e com a sua marca estampada é um ponto a considerar.

Isto permitirá que a sua empresa construa e consolide uma marca própria no mercado. O consumidor poderá reconhecer seus produtos exclusivos e diferenciá-lo da concorrência, estabelecendo assim sua identidade com o tempo.

O sucesso das marcas próprias é mais forte nas categorias de produtos de consumo, com alto volume de compra e naqueles onde consumidores fazem pouca diferenciação, ou possuem baixo apelo à marca. Esse crescimento se deriva de marcas de pequeno e médio porte, enquanto os líderes das categorias permanecem relativamente seguros.

OEM e benefícios destes produtos para varejistas e fornecedores

Um Fabricante de Equipamento Original (OEM) é frequentemente o fornecedor direto de uma empresa de varejo que vende diretamente aos consumidores. Por exemplo, as peças de um carro ou trator não são todas fabricadas pela marca. Algumas peças, como os componentes eletrônicos, podem ser produzidas por um fabricante de originais. Veja a seguir alguns benefícios de possuir um OEM:

  • Preços competitivos: são competitivos em termos de custos, devido à capacidade de produzir em escala. Grandes volumes, processos racionalizados e cadeias de fornecimento eficientes, especialmente como na China, tornam as peças OEM mais baratas, do que se tivessem sidofabricadas pela própria empresa compradora. Quando um componente de qualidade é incorporado num produto final a um preço baixo, leva a um aumento das vendas, receitas e lucros.
  • O acesso a peritos leva a uma boa qualidade: várias OEMs utilizam o mesmo processo de fabricação. Isto as torna especialistas nesse processo. Tomemos como exemplo a fundição sob pressão. Um fabricante experiente saberá as razões para defeitos frequentes, tais como a baixa espessura da parede e alta porosidade da superfície do molde, e tomará medidas para evitá-los. As empresas que não têm a vasta experiência dos fabricantes de equipamento original cometeram erros que podem ser dispendiosos. Tentativa e erro custam dinheiro, certo?
  • Reduza os custos de capital e se proteja contra flutuações nos custos operacionais: ao terceirizar a fabricação, as empresas poupam com capital e gastos para adquirir máquinas e adaptação de espaço para produção e pessoal. Existem também os benefícios em relação às despesas operacionais, tais como os custos com matérias-primas, que podem sofrer alteração de preços frequentemente, perturbando os planos orçamentários. E quando fazem um contrato de longo prazo com uma OEM, podem conseguir bloquear o custo por unidade do componente ou produto durante um período. 

Panorama de importação com marcas próprias

Lá se vão os tempos onde as “etiquetas privadas” se destinavam apenas àqueles com orçamentos apertados. Pelo contrário, tem se apresentado como produtos de qualidade que satisfazem as necessidades dos consumidores, com grande variedade de ofertas e sofisticação.

As percepções sobre as marcas próprias são favoráveis em todo o mundo, mas as quotas de valor não estão distribuídas de forma correspondente no globo. Ainda são mais elevadas em regiões desenvolvidas como a Europa, América do Norte e Austrália.

Isso quer dizer que os consumidores tomaram nota desta mudança e responderam positivamente. Hoje em dia, as percepções sobre marcas próprias são esmagadoramente favoráveis — quase três quartos dos inquiridos globais (71%) dizem que a qualidade das marcas privadas melhorou ao longo do tempo. Uma porta aberta por necessidade econômica, alargou-se para incluir uma variedade de produtos com marca de distribuidor e continuam a ser viáveis e de confiança para muitos consumidores em todo o mundo.

Dados sobre marcas próprias no Brasil e no mundo

Segundo a Abmapro – Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização é um bom momento para o setor, principalmente no ramo de alimentos, lácteos e limpeza, pela facilidade de adesão. Atualmente, 1 a cada 3 brasileiros adquirem este tipo de produto devido ao preço, que gira em torno de 7% menor do que às marcas globais. 

Para compreender as atuais percepções dos consumidores sobre a qualidade, valor e diversificação de produtos de marcas próprias, a Angus McOuat, parceiro associado da McKinsey, discutem alguns insights da pesquisa:

  • Desde o início do surto da COVID-19, muitos consumidores se mostraram dispostos a mudar o seu comportamento de compra. Segundo a pesquisa, cerca de 40% dos compradores americanos experimentaram novos produtos ou marcas. Em grande parte pela falta de alguns produtos nas prateleiras durante semanas.
  • A proliferação de Unidades de Manutenção de Estoque de marcas nacionais, juntamente com a introdução de marcas secundárias e terciárias para preencher espaços em brancos nas prateleiras, está diluindo a diferenciação entre as marcas próprias e tornando a arquitetura de diversificação irrelevante. Oportunidades perdidas em tamanhos de embalagens, sabores e outros subsegmentos estão se acumulando nas lojas de varejo que não tem um processo sistemático para refinar melhor essa oferta de produtos.
  • Os varejistas agora têm a oportunidade de redefinir o posicionamento de suas marcas próprias, levando em consideração a percepção dos seus clientes, penetração, qualidade, valor, rentabilidade e capacidade de fidelização. Para que diante disso consiga compreender as oportunidades que existem para o seu produto no mercado.

Vantagens e desvantagens de importar produtos da China

A importação de mercadorias pode significar aumentar os lucros e desfrutar de uma vantagem competitiva, como vimos nos tópicos anteriores. Consequentemente, com a maioria dos produtos e componentes sendo obtidos na China, faz sentido que as empresas importem do maior fabricante do mundo. No entanto, os empresários são aconselhados a considerar algumas das vantagens e desvantagens de importar da China. 

Vantagens de importar da China 

A China possui um mercado inovador, com produtos diversificados e que causam diferenciação em relação à concorrência. Além do mais, o governo chinês apoia as relações internacionais e reafirma esse compromisso, o que acaba fidelizando e incentivando que empresários prossigam com seus negócios com tranquilidade. Além disso, o acordo de relações comerciais inclui aos importadores benefícios exclusivos que podem tornar o processo de importação muito mais fácil e econômico. 

A implementação de controles e inspeções de qualidade são levados a sério pelos fornecedores chineses. Os procedimentos envolvem duas etapas: a Garantia de Qualidade (GQ) e o Controle de Qualidade (CQ). A GQ envolve diretrizes capazes de reduzir ou eliminar defeitos e inclui a formação, controle de alterações, documentação, auditorias e investigação, entre outras etapas. Enquanto a GQ se concentra no pós-produção, com a inspeção de lotes, amostragem de produtos, identificação de defeitos, validação e testes laboratoriais. Ambos asseguram que os produtos depois de prontos atendam os pedidos e cumpram as normas definidas. 

A indústria de design do país está em constante expansão. É considerada o lar de prestigiados instituições de ensino de design, o que produz uma geração de bons profissionais. Por sua vez, os fabricantes que possuem conhecimento do processo e absorvem esses talentos acabam por se destacar no mercado global. 

Cuidados ao importar da China

Apesar das vantagens, os importadores são alertados sobre algumas das armadilhas associadas à importação da China. Aqui estão alguns dos fatores que os importadores, especialmente os iniciantes, podem precisar considerar ao decidir o país de origem de suas mercadorias, para evitar alguns dos erros caros que podem ocorrer.

A dificuldade na escolha do fornecedor terceirizado ou um fabricante pode ser um desafio a considerar. Existem prós e contras dessas duas opções, e o importador pode precisar considerar o sistema que vai bem com o processo de desenvolvimento e cadeia de suprimentos do produto. É importante que os importadores encontrem o máximo de informações sobre o fornecedor em potencial.

Os riscos de falta de comunicação são muito altos, especialmente ao comprar de outros países. Isso exige que o importador envie detalhes e especificações precisos para reduzir os riscos de erros. O importador pode precisar ligar para o fabricante e solicitar amostras conforme necessário. Embora isso possa levar algum tempo, é melhor do que correr o risco de fazer um pedido e receber um item diferente do que era esperado e arcar com estes custos. Embora hoje seja possível a comunicação por videochamada e outras formas de interação, os importadores podem precisar viajar para a China para saber mais sobre as empresas.

Maior tempo de entrega: o transporte é bastante lento, e o tempo necessário para transportar os produtos é afetado por fatores como documentação, desembaraço aduaneiro, viagens terrestres e processos de manuseio portuário. Vale lembrar que é preciso verificar ainda a necessidade de licenças de importação para alguns itens, bem como as regras de tributação antidumping e embargos.

Converse com a ST Importações e descubra que, aqui, tudo importa: o prazo importa, o valor importa, a tranquilidade importa, sua encomenda importa, a experiência importa e seu cliente importa. Contamos com soluções logísticas integradas, com foco em redução de tempo e custos operacionais.

spot_img