21 C
fpolis
sexta-feira, janeiro 28, 2022

Comunidade da Costa da Lagoa terá água tratada

Comunidade da Costa da Lagoa terá água tratada

spot_img

A comunidade da Costa da Lagoa terá um sistema alternativo de distribuição de água tratada. Após pelo menos dois anos de negociações entre associação de moradores, Casan e Vigilância Sanitária Ambiental, foram instaladas, nesta segunda-feira, 25, as seis caixas d’água que serão utilizadas para tratamento e reservatório da água captada.

Apesar de ter uma população menor do que mil habitantes, a Costa da Lagoa recebe milhares de visitantes e turistas durante todo o ano. No entanto, somente agora fará o tratamento adequado à água utilizada nas casas e restaurantes, captada da cachoeira local.

O centro de saúde da região vinha recebendo frequentemente casos de infecções intestinais e urinárias. Por sua vez, a Vigilância Sanitária encontra, em todas as análises feitas na água usada pela população, coliformes fecais e a bactéria E. coli, prováveis responsáveis pelos problemas de saúde apresentados.

Para minimizar a situação, sachês de hipoclorito de sódio estavam sendo distribuídos para que fossem colocados nas caixas d’água das residências. “Mas nem sempre as pessoas seguem as orientações dos profissionais de saúde”, lamenta a gerente de Vigilância Ambiental, Priscilla Valler.

Alternativa

No fim do ano passado, a comunidade e a Casan entraram em um acordo, após o ultimato da vigilância Sanitária, que prometeu interditar os restaurantes, caso não houvesse solução. Os comerciantes locais compraram as caixas d’água e a estatal comprometeu-se a dar assessoria técnica para o tratamento da água.

O entrave é que a comunidade não tinha meios para levar as caixas d’água até o ponto onde deve ser feita a captação, pois além de ser muito grandes, o acesso à área é limitado. Com apoio da Defesa Civil do Estado, o Corpo de Bombeiros de Santa Catarina cedeu o helicóptero para a operação, que foi realizada na manhã desta segunda-feira (25).

São seis caixas d’água que serão usadas para tratamento da água captada na cachoeira e reservatório. A Vigilância Sanitária irá continuar monitorando a qualidade da água captada pelo sistema alternativo mensalmente.

As informações são da Secretaria de Comunicação da Prefeitura da Capital.

 

spot_img
spot_img