19.2 C
fpolis
domingo, outubro 24, 2021
cinesytem

Comunidade do Monte Serrat, no Maciço do Morro da Cruz, vai ganhar nova área de lazer

spot_img

Comunidade do Monte Serrat, no Maciço do Morro da Cruz, vai ganhar nova área de lazer

spot_img

Uma nova área de convívio será criada no alto do Monte Serrat, em Florianópolis, no terreno da Caixa d’água. A iniciativa é mais uma realização de um trabalho desenvolvido há muitos anos pelo Instituto Vilson Groh na comunidade, com o tripé meio ambiente, trabalho e turismo. “A beleza rompe a bruteza. Queremos trazer e fazer com que essa comunidade também batalhe cada vez mais por sua qualidade de vida, mostrar a esse capital social as possibilidades de ser incluído no mercado de trabalho por meio de ações que destaquem o que temos de melhor aqui na comunidade do Monte Serrat”. É com essa perspectiva que o empreendedor social padre Vilson Groh, morador do Monte Serrat há 36 anos, explica o projeto que traz uma perspectiva de grande mudança na realidade dos moradores dessa comunidade.

O termo de cooperação de adoção de área pública foi firmado entre a Fundação Municipal do Meio Ambiente – FLORAM e o Instituto Vilson Groh – IVG, que assume o compromisso de executar, sob a modalidade de responsabilidade total, que compreende a responsabilidade do adotante pela integral manutenção da área e seus equipamentos, inclusive o fornecimento de mão-de-obra, a título de cooperação com o Município de Florianópolis, os serviços de manutenção, conservação, e outras melhorias dos equipamentos de cultura e lazer, ajardinamento e outras melhorias na área verde localizada no terreno da Caixa d'água, na Rua General Nestor Passos, esquina com General Vieira da Rosa, Monte Serrat. A obra será executada pela WOA Empreendimentos Imobiliários, parceira do IVG. “Criaremos um parque, preservando toda a área tombada, com play, academia ao ar livre, uma bica carioca, uma pista para caminhada e espaço para realização de feirinhas entre outras atividades para a comunidade”, destaca padre Vilson Groh.

O projeto será realizado em cinco etapas e a conclusão total será em 2022. A primeira fase está prevista para ser entregue no segundo semestre de 2019.

“O que falta na nossa sociedade são conexões, elos que façam as realidades opostas se integrarem e é essa a nossa proposta. Criar oportunidades na comunidade do Monte Serrat, criando espaços para o artesanato local, com as produções que nascem no morro e lincando com o ambiental com o horto florestal que temos aqui no maciço, além, de num futuro próximo, da criação de uma via gastronômica”, explica padre Vilson.

Esse projeto já vem sendo pensado por um grupo de trabalho coordenado pelo movimento Traços Urbanos, formado por um grupo transdisciplinar com pessoas de diferentes competências e áreas de atuação. A arquiteta Juliana Castro, da JA8 está à frente do projeto. “Com essa grande ação a proposta é trazer um fluxo e mostrar que o turismo é possível, estamos engajados em criar cada vez mais possibilidades de expor a beleza e a cultura que o morro tem, seja com intervenções arquitetônicas, como é o projeto da Praça do Monte Serrat no terreno da caixa d´água cedido pela CASAN, seja com intervenções pontuais”, destaca Walter Silva Koerich, diretor da WOA Empreendimentos Imobiliários, empresa responsável pela execução da obra.

“Muito mais do que a revitalização das áreas, o nosso objetivo é trazer a lente da sociedade e órgãos competentes para a realidade desta comunidade. Com a somatória de esforços e atitudes podemos sim construir um mundo melhor, a transformação depende de cada um de nós. Como diz o padre Vilson, sim, a beleza vence a bruteza, mas a beleza não apenas pela estética, mas pelos atos, pelo propiciar a está comunidade uma nova oportunidade de ser o próprio protagonista de sua história”, finaliza o empresário Waltinho Koerich.

spot_img
spot_img