19.6 C
fpolis
domingo, setembro 19, 2021
cinesytem

Conceito de `comércio justo´ está presente na 4ª Vitrine SEBRAE

spot_img

Conceito de `comércio justo´ está presente na 4ª Vitrine SEBRAE

Prática inclui agricultores e artesãos organizados em cooperativas e microempresas

Uma prática econômica que já movimenta mais de R$ 3 bilhões no mundo começa aos poucos a influenciar positivamente a renda de agricultores e artesãos em Santa Catarina. É o movimento do comércio justo, uma das bandeiras do SEBRAE e apoiado por organizações não-governamentais, que prega a ética nas relações entre produtor e vendedor, com respeito ao meio ambiente, à sociedade e ao consumidor.

A definição de Comércio Justo e Solidário foi elaborada pela antiga IFAT, hoje denominada WFTO (World Fair Trade Organization, sigla em inglês), em 2001. De acordo com a WFTO, “comércio justo é uma parceria comercial, baseada em diálogo, transparência e respeito, que busca maior equidade no comércio internacional”. Ainda, segundo a federação, o movimento propõe desenvolvimento sustentável, melhores condições de troca e garantia dos direitos a produtores e trabalhadores de todo mundo que estão à margem do mercado internacional.

O SEBRAE/SC acredita nesta ideia e por meio da 4ª Vitrine SEBRAE – Aroma, Sabor e ArteCatarina, que acontece até 20 de fevereiro no Vão Central do Beiramar Shopping está empregando este conceito. “Dentro dos pilares do comércio justo, percebemos que no evento estão sendo explorados os conceitos de consumo consciente, preço justo, e a não exploração de trabalho infantil de trabalho da mulher”, afirma Cleival Kisney, Assistente de Comércio Solidário da Ética Comércio Solidário, empresa parceira do evento.

No Brasil, segundo dados da ONG internacional FLO, 8,5 mil famílias brasileiras estão envolvidas na cadeia produtiva do comércio justo.

SIMILARIDADES ENTRE PRÁTICAS DO COMÉRCIO JUSTO E EVENTO AROMA, SABOR E ARTECATARINA

COMÉRCIO JUSTO

4ª Vitrine SEBRAE – Aroma, Sabor e ArteCatarina

Conscientização dos produtores para uma atividade transparente e corresponsável na cadeia produtiva e comercial.

Todos os produtores e artesãos integrantes de projetos desenvolvidos pelo SEBRAE recebem capacitação de acordo com produto e segmento.

Criação de condições de capacitação e acesso dos pequenos produtores a informações sobre os mercados.

O SEBRAE designa consultores para analisarem os produtos e etapas necessárias para que o mesmo chegue ao mercado.

Pagamento de preço justo no recebimento do produto, além de bônus que beneficie toda a comunidade.

No evento não existem atravessadores e portanto o produtor e artesão recebe o valor justo ao seu produto. Além disso, todos recebem capacitação do SEBRAE para poder elaborar um preço justo, que cubra seus custos, lhe dê uma margem de lucro e não explore o comprador.

Disseminação de formas de produção ambientalmente corretas e estímulo ao consumo responsável.

Todos os produtores e artesãos envolvidos no evento passaram por uma avaliação e seus produtos classificados quanto a produção responsável.

Retorno para o desenvolvimento local, com geração de empregos e aprimoramento de políticas públicas.

Todos os artesãos e produtores envolvidos têm em seus produtos sua subsistência. Também as associações abrem frentes de emprego, desenvolvimento e renda para a região. Um exemplo é a Associação Mulheres do Frei, da comunidade Frei Damião na Palhoça.

Articulação entre o mercado local e o mercado de exportação.

Pelo segundo ano consecutivo foi realizada concomitantemente com o evento a RODADA DE NEGÓCIOS, na qual grandes empresas negociaram diretamente com artesãos catarinenses, abrindo um novo mercado para os produtos.


Serviço
O quê: 4ª Vitrine SEBRAE – Aroma, Sabor & ArteCatarina
Onde: Vão central do Beiramar Shopping
Quando: até 20 de fevereiro de 2011
Horário: das 14h às 22h
Entrada gratuita

spot_img
spot_img

Leia mais