18.5 C
fpolis
quinta-feira, setembro 23, 2021
cinesytem

Delegado-geral Aldo D´Ávila diz que atentados são reação à eficácia da Segurança Pública

spot_img

Delegado-geral Aldo D´Ávila diz que atentados são reação à eficácia da Segurança Pública

spot_img

O delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D´Ávila, afirmou na tarde desta quarta-feira, 14, em entrevista à rádio CBN/Diário, que os atentados que foram registrados nas duas últimas noites na Grande Florianópolis e outras cidades são uma “reação de grupos insatisfeitos com a forma rígida e eficaz com que a segurança pública tem sido tratada no Estado”. Pela manhã, o delegado Renato Hendges afirmou, também à CBN/Diário, afirmou queos atentados não são atos de baderna, mas de crime organizado, e que a culpa por essa situação é do sistema prisional de Santa Catarina, superlotado e onde seres humanos são “tratados como bichos”.

D´Ávila disse ainda que a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) está concentrando as investigações e que “já identificamos alguns líderes, dentro e fora dos presídios”. As informações, porém, são sigilosas.

O delegado-geral reconhece que “a presença de grupos dentro ou fora dos presídios é uma realidade, e não apenas em Santa Catarina. Temos convicção de que eles atuam em todos os estados, e esta é uma das linhas de investigação que estão sendo seguidas”.

Para D´Ávila, o “sistema prisional é precário em todo o país, mas em Santa Catarina ele é modelo, com administração rígida e firme. A finalização de privilégio gera reações”. Ao todo, 23 suspeitos de participação nos atentados já foram detidos.

Rondas em rotas de ônibus continuarão

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nazareno Marcineiro, também em entrevista à rádio CBN/Diário, afirmou que as rondas e os patrulhamentos nas principais rotas do transporte coletivo de Florianópolis vão continuar.

“Desde segunda-feira temos reforçado o policiamento ostensivo e as ações de repressão aos atentados, que se caracterizam quase como terrorismo: patrulhando nas ruas, com foco nas rotas dos coletivos, e fazendo operações nos lugares em que tráfico e crime são rotineiros”, disse.

Entre as orientações para os cidadãos, estão “cuidar da sua própria integridade, frequentar lugares em que há bastante gente, usar transporte coletivo sem medo, não ficar em lugares isolados e ligar para o 190 em caso de suspeitas de autores dos atentados”.

Foto: Delegado-geral Aldo Pinheiro D´Ávila (1º á esquerda) e o coronel Nazareno Marcineiro (1º à direita) / Felipe Lenhart

spot_img
spot_img

Leia mais