23 C
fpolis
domingo, novembro 28, 2021
cinesytem

Editora da UFSC lança concurso literário para roteiros de teatro e cinema

spot_img

Editora da UFSC lança concurso literário para roteiros de teatro e cinema

spot_img

Gênero premiado agora será Roteiros para cinema e peça de teatro. Escolha estimula uma habilidade artística carente no Estado

Depois de realizar em 2010 o concurso Salim Miguel na categoria Romance, a Secretaria de Cultura e Arte e a Editora da UFSC lançam nesta semana um novo concurso literário homenageando outro artista catarinense de expressão nacional: Rogério Sganzerla. Desta vez, a EdUFSC vai premiar dois originais na categoria Roteiros para teatro e cinema, a fim de incentivar a produção artística em duas áreas com pouca tradição no Estado. As inscrições para o concurso Rogério Sganzerla/EdUFSC 2011 e 2012 abrem no dia 15 de novembro e vão até 15 de janeiro de 2012.

As obras vencedoras serão publicadas ao longo do segundo semestre de 2012. O certame integra um ciclo de concursos literários iniciado no ano passado com o gênero romance, que premiou em maio o escritor Alckmar Luiz dos Santos, cuja obra Ao que minha vida veio, será lançada em São Paulo no dia 4 deste mês e no dia 17 no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, em Florianópolis. O gênero Roteiros para cinema e dramaturgia foi decidido em reunião do Conselho Editorial da EdUFSC, que também acatou a sugestão do diretor da Editora, Sérgio Medeiros, de homenagear o diretor de O Bandido da Luz Vermelha. Poesia e contos deverão ser as categorias contempladas pelos próximos concursos

Os autores devem ser naturais de Santa Catarina ou residentes no Estado há pelo menos três anos. “É uma forma de incentivarmos a produção cultural em nosso Estado publicando os trabalhos premiados”, enfatiza a secretária de Cultura e Arte, Maria de Lourdes Borges, presidente do Conselho Editorial da EdUFSC. Os roteiros concorrentes devem ser inéditos (inclusive em meio eletrônico) e redigidos em língua portuguesa.

Segundo o regulamento, publicado na página da editora (www.editora.ufsc.br ), o autor deve ser nascido em Santa Catarina ou residente no Estado há pelo menos três anos. As inscrições devem ser realizadas, pessoalmente e no horário comercial, na secretaria da Direção Executiva da Editora da UFSC, localizada no prédio da EdUFSC, Campus Universitário, Bairro Trindade, Florianópolis, SC. Também serão aceitas inscrições pelos Correios, contando a data de postagem, com material remetido para: Editora da UFSC, Concurso Rogério Sganzerla EdUFSC 2011/2012, Caixa Postal 476, Florianópolis, SC, 88010-970.

Ainda conforme o regulamento, o participante deve anexar três cópias impressas do original, contendo na folha de rosto apenas o título da obra e o pseudônimo do autor. Um autor pode concorrer com mais de uma obra, desde que feitas inscrições separadas, identificadas por pseudônimos diferentes.

No período de 16 de janeiro de 2012 a 30 de abril de 2011, uma comissão composta de três membros escolhidos pelo Conselho Editorial da EdUFSC fará a avaliação e seleção dos originais inscritos. Haverá apenas uma obra vencedora, mas a comissão poderá fazer menções honrosas. O resultado do concurso será divulgado na primeira reunião do Conselho, que ocorrerá em maio de 2012, e publicado no mesmo dia no site da UFSC e da Editora. O vencedor terá direito a 10% da tiragem da obra ou a 10% sobre a venda dos exemplares, além da publicação da obra em livro.

O enigma Sganzerla

Natural de Joaçaba, Sganzerla começou a escrever sobre cinema aos 15 anos, colaborando para o jornal O Estado de S.Paulo e faleceu em 2004, de câncer no cérebro. Em 2009, a Editora da UFSC reuniu e publicou dois volumes com a obra ensaística do autor, que desde cedo mostrou um impressionante poder de elaboração intelectual e artística em torno da cultura brasileira. Celebrado como um artista de vanguarda, pela originalidade de sua obra, o cineasta tropicalista misturou com criatividade e ironia elementos de repertório clássico-erudito e popular.

Em sua vasta filmografia criou uma linguagem antropofágica que processa o estrangeirismo norte-americano e a cafonice das elites e políticos nacionais, afirmando como protagonistas e anti-heróis figuras marginais como o bandido e a prostituta. “Com o nome de Salim reverenciamos não só nosso mais reconhecido autor, mas a geração do Grupo Sul representada por ele. E agora vamos enaltecer o talento e a ousadia precoces do cineasta Rogério, que também escreveu peças para teatro”, justifica Medeiros.

A viúva de Sganzerla, atriz de grande parte de seus filmes, Helena Ignez, recebeu com alegria a notícia do concurso: “Essa iniciativa ajuda a levar às novas gerações de dramaturgos e cineastas a coragem e a consciência artística de Rogério, que foi um roteirista obstinado pela ética e pela estética”.

Mais informações: 3721-8329 e 37219408

www.secarte.ufsc.br lwww.editora.ufsc.br

spot_img
spot_img