17.9 C
fpolis
quarta-feira, outubro 20, 2021
cinesytem

Entidades do Sul da Ilha rejeitam plano de saneamento proposto pela Casan

spot_img

Entidades do Sul da Ilha rejeitam plano de saneamento proposto pela Casan

spot_img

Representantes de associações comunitárias, lideranças sociais, maricultores e ecologistas rejeitaram nesta terça-feira, 4, durante audiência pública, o plano de saneamento proposto pela Casan para Florianópolis, que prevê a utilização de duas estações de tratamento e emissários submarinos. As informações são da assessoria de comunicação da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).

Eles cobraram mais participação na elaboração do plano de saneamento municipal. Uma nova rodada de debates, ainda sem data definida, será feita em outubro. O evento, realizado no Conselho Comunitário da Fazenda Rio Tavares, foi promovido pelas comissões de Saúde, Pesca e Aquicultura e Turismo e Meio Ambiente da Alesc.

A Casan informou que a Capital ocupa o 42º lugar entre as 100 melhores cidades do país em coleta e tratamento de esgoto, com 54% de cobertura. Somente entre 2003 e 2010, segundo a empresa, foram investidos R$ 210 milhões em tratamento de água e esgotamento sanitário e estão em andamento diversos projetos na Ilha, como a construção de 38 km de rede de esgoto.

Uma das obras que tem gerado mais polêmica entre os ambientalistas, o emissário submarino previsto para o Sul da Ilha, já está em fase de licenciamento ambiental (EIARIMA) e logo será definido o ponto adequado para o lançamento dos efluentes. A obra já tem garantidos recursos da ordem de R$ 97 milhões.

Foto: Miriam Zomer

spot_img
spot_img