29.6 C
fpolis
terça-feira, janeiro 25, 2022
cinesytem

Escrever-através: livro discute apropriação de textos já escritos

Escrever-através: livro discute apropriação de textos já escritos

spot_img

Depois de passar por Itajaí e Criciúma, nas últimas semanas, o livro ESCREVER-ATRAVÉS (editora editora, 2021), de Marcos Walickosky, será lançado em Florianópolis, na quinta-feira, 9, na Galeria Lama. 

Escrever-através surge de uma pesquisa sobre apropriação de textos para a construção de “novos” trabalhos de escrita no campo das artes visuais. O livro é uma versão da dissertação de mestrado em Artes Visuais defendida em julho de 2019 no programa de pós-graduação em Artes Visuais da Udesc, com orientação de Regina Melim. Nele, três trabalhos de texto se entrecruzam ocupando diferentes áreas das páginas e foram construídos a partir de textos acadêmicos, textos literários e textos coletados na rua. No final do livro, dois textos falam sobre os processos usados na pesquisa, um do próprio autor e outro de Telma Scherer. 

Marcos Walickosky aborda os conceitos de “escrita não-criativa”, de Kenneth Goldsmith, e “escrever-através”, citado por Marjorie Perloff, a partir de John Cage (o ato de escrever através das palavras de outra pessoa), para falar das técnicas de escrita não-criativa que se utilizam de materiais que já existem. Ela relaciona a não originalidade com as práticas de citação, cópia, reprodução e colagem. Defende, junto a Kenneth Goldsmith, que a originalidade está em “isolar, reconfigurar, reciclar, regurgitar, reproduzindo ideias e imagens que não são suas” e que, assim, resultam em trabalhos totalmente originais e diferentes de como já existiram. Nesses trabalhos, a originalidade não está na criação, mas na nova forma que aquilo está sendo apresentado, manipulando o que já existe para recriá-la. 

“Escrever-através” faz parte do projeto “Sobrescrever”, e foi realizado com recursos do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura / Artes – edição 2019, da Fundação Catarinense de Cultura. Em Criciúma, o lançamento foi realizado em 3/12, na Unesc, e em Itajaí, no dia 27/11, na Casa de Cultura Dide Brandão. 

A coordenação editorial é de Gabi Bresola, da editora editora, projeto gráfico de Marcos Walickosky, texto crítico de Telma Scherer, revisão e assessoria de imprensa de Barbara Pettres e fotografia de Fernanda Medeiros. 

O livro terá distribuição gratuita no lançamento em Florianópolis e estará à venda no site da editora editora https://www.editoraeditora.com/ 

Lançamento em Florianópolis 

Quinta-feira, 9 de dezembro, 20h 

Galeria Lama (Av. Hercílio Luz, 1364, Centro).

Marcos Walickosky 

É bacharel e mestre em Artes Visuais, na linha de processos artísticos contemporâneos, pela Udesc. Na graduação, desenvolveu uma pesquisa que resultou no livro-objeto “Cubo branco”, onde explora o espaço impresso como espaço expositivo através de três eixos recorrentes nos seus trabalhos: a escrita, o encontro e a coleta. Em sua dissertação de mestrado “Escrever-através”, investigou a apropriação de textos nas artes visuais e na literatura. Realiza com Gabi Bresola a Flamboiã – feira de publicações de artista. Desde 2010 participa como artista visual, curador ou produtor de exposições, feiras, publicações, residências e projetos de artes visuais. 

editor.deolhonailhahttp://www.deolhonailha.com.br
O DeOlhoNaIlha é um portal de propriedade da NacionalVOX - Agência Digital, de Florianópolis. Seu lema é "Fique por dentro de Floripa" e seu objetivo é deixar os moradores e visitantes da Ilha da Magia muito bem informados sobre tudo o que acontece na cidade e região.
spot_img
spot_img