29.6 C
fpolis
terça-feira, janeiro 25, 2022
cinesytem

Estaleiro de Eike Batista na Grande Florianópolis estreia na Bolsa

Estaleiro de Eike Batista na Grande Florianópolis estreia na Bolsa

spot_img

Os papéis da empresa, chamada de “Embraer dos mares”, serão comercializados por R$ 800 cada

A OSX Brasil SA, do grupo EBX, do empresário Eike Batista, dono de uma fortuna de US$ 27 bilhões, inicia hoje a venda de ações no pregão da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) interessa diretamente Santa Catarina. Por meio dela, a empresa pretende captar boa parte do dinheiro necessário para a construção de um estaleiro em Biguaçu, na Grande Florianópolis, projeto orçado em R$ 117 milhões.

Além desse estaleiro para a construção de plataformas de navios-sondas para a captação de petróleo, a OSX inclui uma empresa de afretamento (locação de plataformas e navios) e outra de serviços de manutenção. Somando as três, o aporte financeiro deve chegar perto de R$ 2,5 bilhões. Se confirmado, seria um dos maiores investimentos privados da história catarinense.

Na sua estreia na Bovespa, a empresa ofereceu seus papéis por R$ 800 cada. A operação, que envolveu a negociação de 3,5 milhões de ações ordinárias, vai captar R$ 2,82 bilhões, menos de um terço dos R$ 9,92 bilhões previstos inicialmente. Eike Batista, que com essa abertura de capital aumentou o valor da sua fortuna no mercado em US$ 3,6 bilhões, deverá tocar o sino da Bovespa às 10h, ao lado do presidente da OSX, Edemir Pinto, dando início ao pregão do dia.

Como houve um adiamento no cronograma (a estreia na Bolsa seria na sexta), as pessoas físicas que reservaram ações da empresa terão até amanhã para desistir do negócio.

No prospecto apresentado ao mercado, a OSX já nasce com 48 plataformas contratadas pela OGX, a petroleira do grupo de Eike, dona de 29 blocos de petróleo e gás em fase de pesquisa. Elas seriam fabricadas nos próximos 10 anos, ao custo de US$ 30 bilhões. Já existe um contrato de cooperação estratégica, em que as companhias se comprometem a priorizar uma à outra nas contratações.

A previsão é de que as primeiras quatro plataformas construídas em Biguaçu sejam entregues a partir de 2013, depois sete em 2014, até chegar a 13 em 2016. A estimativa da própria empresa é que, no Brasil, no período, serão construídas 182 plataformas para atender à demanda, inclusive para a região do pré-sal.

Segundo o projeto apresentado pela OSX, o estaleiro na Grande Florianópolis terá 3,2 milhões de metros quadrados, e está sendo anunciado como o “maior das Américas”, com capacidade para processar 220 mil toneladas de aço.

Em apresentação a investidores, Eike Batista se refere à empresa como uma “Embraer dos mares”.

Diante do resultado abaixo do esperado na Bovespa, a OSX informou que buscará recurso junto a instituições financeiras do Brasil ou exterior para complementar o investimento nos próximos anos. Uma das opções mais baratas é o Fundo da Marinha Mercante (FMM).

Com a conclusão dessa fase de captação de capital na Bolsa, o início das obras dependerá do licenciamento ambiental, que está sendo feito pela Fundação do Meio Ambiente de SC (Fatma), com a participação do Instituto Chico Mendes (ICMBio). Para suprir a mão de obra escassa, Eike Batista anunciou a instalação do Instituto de Tecnologia Naval, no Sapiens Parque, em Florianópolis, com investimento da ordem de R$ 15 milhões.

spot_img
spot_img