fique por dentro de floripa

- Saúde - Estrutura e equipe especializada do HU garantem atendimento à mulher em casos complexo

13.04.2021

Estrutura e equipe especializada do HU garantem atendimento à mulher em casos complexo

13.04.2021
Estrutura e equipe especializada do HU garantem atendimento à mulher em casos complexo
Foto: Divulgação

Especialista explica diagnóstico e tratamento em casos de placenta acreta

 

Embora seja uma condição relativamente rara, o acretismo placentário é uma situação de alto risco para a mulher e está relacionado à maior necessidade de terapêutica transfusional; a complicações durante a cesárea e à infecção. Por isso, mulheres com a placenta acreta precisam de um tratamento especializado e uma equipe treinada para cirurgia.

 

O ginecologista e professor Luiz Fernando Sommacal, que faz parte do grupo de acretismo placentário no Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC/Ebserh), juntamente com os médicos Rodrigo Baron e Otto Feuerschuette, explicou que a placenta acreta caracteriza uma patologia na qual a placenta se adere à musculatura uterina e, em alguns casos, ultrapassa o limite natural desta musculatura, invadindo a bexiga ou o reto.

 

Segundo ele, normalmente os fatores de risco para a placenta acreta são incisão uterina anterior (uma cesárea, por exemplo), história materna de tabagismo, idade materna avançada, multiparidade e gestação gemelar. O sintoma mais predominante é o sangramento. “Trata-se de um sangramento que não se associa a esforço, trauma, dor e hipertensão, por exemplo”, afirmou.

 

O médico explicou que diante de uma mulher grávida com sangramento e após exame ginecológico e ultrassom obstétrico, é feito o diagnóstico de placenta acreta e a mulher deve ser encaminhada para cirurgia. De acordo com ele, a placenta acreta é responsável por altos índices de morbidade e mortalidade.

“É preciso ter uma equipe especializada e um hospital de alta complexidade, com banco de sangue 24 horas e UTI, por exemplo. E é aí que o HU-UFSC se insere na cadeia de cuidado da mulher nestas condições”, disse, explicando que trata-se de uma cirurgia que pode durar em média três a quatro horas – uma média que varia muito considerando vários graus de complexidade do acretismo placentário.

 

Sommacal explicou, ainda, que o HU se tornou referência no atendimento de gestação de alto risco, o que assegura o atendimento também nos casos de acretismo placentário.

Link vídeo - https://youtu.be/up1_Me845L8

Conteúdos relacionados

Ver mais conteúdos

Cardiologista Marcelo Harada Ribeiro tem artigo publicado no Journal of the American College of Cardiology

14.05.2021

Cardiologista Marcelo Harada Ribeiro tem artigo publicado no Journal of the American College of Cardiology

Vacinação em SC: Governo do Estado distribui 152.550 novas doses da vacina contra a Covid-19

14.05.2021

Vacinação em SC: Governo do Estado distribui 152.550 novas doses da vacina contra a Covid-19

Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina completa 37 anos com marca de 263 mil atendimentos

13.05.2021

Centro de Informação e Assistência Toxicológica de Santa Catarina completa 37 anos com marca de 263 mil atendimentos

Saiba mais sobre Florianópolis no deolhonailha.com.br O DeOlhoNaIlha é um portal de propriedade da NacionalVOX - Agência Digital, de Florianópolis. Seu lema é "Fique por dentro de Floripa" e seu objetivo é deixar os moradores e visitantes da Ilha da Magia muito bem informados sobre tudo o que acontece na cidade e região.

Anuncie no portal.
Entre em contato.