23.2 C
fpolis
sábado, abril 13, 2024
Cinesystem

FCC exibe documentário que resgata a história do Grupo Sul

spot_img

FCC exibe documentário que resgata a história do Grupo Sul

spot_imgspot_img

Um grupo de modernos

O documentário “Modernos do Sul”, com direção e roteiro da jornalista Kátia Klock, será exibido na próxima quinta-feira, dia 23 de abril, às 14 horas, no Museu da Imagem e do Som (MIS), no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. A exibição, com entrada gratuita, faz parte da programação de aniversário dos 60 anos do Museu de Arte de Santa Catarina (Masc) e dos 30 anos da Fundação Catarinense de Cultura (FCC). Participarão do evento a diretora Kátia Klock e alguns representantes do Grupo Sul, como Silveira de Souza e Tércio da Gama.

“Modernos do Sul” é um média-metragem (52 minutos) que retrata o movimento de intelectuais do Grupo Sul, responsável por trazer o Modernismo para o Estado em 1947.
Para o documentário, foram entrevistadas mais de 20 pessoas – integrantes, simpatizantes e pesquisadores do Grupo Sul, conhecido até hoje como o mais efervescente movimento cultural em Santa Catarina. O foco principal é o Grupo de escritores e artistas que atuou de 1947 a 1958, mas nas entrelinhas está sendo contada também um episódio da história cultural do Estado.

O grupo, na verdade, chamava-se Círculo de Arte Moderna, mas com os dez anos da Revista Sul, os integrantes, os “rapazes da Sul”, receberam o novo título, Grupo Sul. Os fundadores, Salim Miguel, Eglê Malheiros, Aníbal Nunes Pires, Ody Fraga e Antonio Paladino agregaram vários intelectuais durante os onze anos de existência do movimento. Gente que até hoje está fazendo arte em Santa Catarina. Entre os integrantes do grupo estão: Walmor Cardoso da Silva, Adolfo Boos Jr., Silveira de Souza, Guido Wilmar Sassi, Osvaldo Ferreira de Melo Filho, Armando Carreirão, Archibaldo Cabral Neves, Élio Ballstaedt, Hamilton Valente Ferreira, Cláudio Bonsfield Vieira, Maura de Senna Pereira, Fúlvio Luiz Vieira, Meyer Filho, Miro Moraes, Hassis, Hugo Mund Jr., Moacyr Fernandes, Silveira D’Ávila, Tércio da Gama, Rodrigo e Martinho de Haro.

O Grupo era multidisciplinar e fez história na literatura, no teatro, nas artes plásticas e no cinema. O primeiro longa-metragem realizado em Santa Catarina foi “O Preço da Ilusão”, produzido pelo Grupo Sul. O maior mérito do Grupo foi introduzir o Modernismo no Estado, 25 anos depois da Semana de Arte Moderna causar furor em São Paulo.

O documentário, uma produção de 2004, reconta a história através de documentos da época, depoimentos e reconstrução de cenas que aconteceram. O projeto foi realizado e distribuído com o apoio da Lei de Incentivo à Cultura Estadual e da Lei Rouanet, com patrocínios das empresas Duas Rodas, Urbano e BRDE.

Contos e poesias da época foram encenados por atores de Florianópolis e poetas do Grupo, como Eglê Malheiros e Walmor Cardoso, que estão recitando suas poesias. Um dos pontos marcantes das gravações foi o encontro de oito integrantes do Grupo Sul, em um bar da capital catarinense. Foi um momento de emoção e de relembrar velhas histórias. Em 1947 todos eles tinham na faixa de 20, 25 anos. Hoje estão com 70, 80 anos. A maioria seguiu a carreira literária e artística, cada um seguiu seu rumo, mas o passado eles têm em comum. E é a memória a matéria-prima do documentário: o que foi produzido naquela época pelo Grupo Sul, como era a cidade dos anos 40 e 50 e como foi a influência do Grupo na arte do Estado.

Mais de mil cópias do documentário em DVD foram distribuídas gratuitamente para escolas públicas do Estado, através da Secretaria Estadual de Educação, escolas de Florianópolis, pela Secretaria Municipal de Educação, e para instituições culturais de todo o país.

spot_img
spot_img
spot_img
spot_img

Leia mais

spot_img