26.2 C
fpolis
segunda-feira, janeiro 24, 2022
cinesytem

Festival da Música e da Integração Catarinense segue na sua reta final

Festival da Música e da Integração Catarinense segue na sua reta final

spot_img

Grande final será neste final de semana no Teatro Pedro Ivo em Florianópolis

Na próxima sexta-feira e sábado, 26 e 27, o 3º Festival da Música e da Integração Catarinense realiza sua grande final no Teatro Pedro Ivo Campos, em Florianópolis. Na primeira etapa, dia 26, o corpo de jurados seleciona as 12 melhores músicas entre as 29 finalistas. Para encerrar, no dia 27, são eleitas as três melhores canções, além dos vencedores das categorias Melhor Intérprete, Melhor Instrumentista, Aclamação Popular e Revelação. O idealizador Luiz Meira também faz o show Te Chamo Felicidade, com participação de Luciana Mello, para o encerramento

Neste fim de semana, o Teatro Pedro Ivo Campos, em Florianópolis, será o palco da grande final do 3º Festival da Música e da Integração Catarinense, a partir das 20h. Dividido em duas etapas, o Femic irá analisar as 29 músicas finalistas na sexta-feira, 26, e selecionar as 12 melhores, que disputam o prêmio na grande final, no sábado, 27. Desde o dia 5, o festival percorreu oito cidades catarinenses, fazendo a sua concorrida seleção entre as canções semifinalistas indicadas pelas etapas regionais. Ao todo, 140 músicas participaram das semifinais. Para encerrar o evento em grande estilo, o músico e idealizador do projeto, Luiz Meira, comanda o seu show Te Chamo Felicidade ao lado de Luciana Mello. A entrada é gratuita e os ingressos podem ser retirados nas bilheterias dos teatros Pedro Ivo Campos, Álvaro de Carvalho e Centro Integrado de Cultura (CIC).

O Femic é um evento que revela talentos em todas as regiões catarinenses e, desde a sua primeira edição, em 2006, tornou-se uma vitrine concorrida para artistas que buscam sair do anonimato e entrar na cena musical estadual. Para escolher os finalistas, o Femic conta com um renomado corpo de jurados, formado por cinco grandes profissionais da música catarinense: Guto Seara, Cássio Moura, Lisa Amaral, Daniel Monteiro e Luiz Ekke Moukarzel.

Para o idealizador Luiz Meira, o Festival já se tornou uma importante iniciativa de estímulo ao surgimento de novos talentos em Santa Catarina. “Os grandes nomes da música brasileira ganharam expressão a partir dos festivais populares realizados no passado. O objetivo do Femic é resgatar essa tradição e mostrar a qualidade musical catarinense para o País”, explica. Para o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Gilmar Knaesel, o crescente número de inscrições denota a ânsia dos artistas por um festival democrático. “O Festival consolidou-se como uma vitrine para os artistas e com isso Santa Catarina passa a imprimir uma identidade musical no País. O Estado possui uma diversidade cultural enorme que precisa de espaço para crescer”, declara.

Nessa edição, o Festival recebeu cerca de 2.300 músicas, recorde em número de inscrições válidas. Músicos de todo o Estado cadastraram as composições inéditas, na busca de ter o talento reconhecido. O Femic tem agora a sua maior premiação, distribuindo R$ 70 mil aos vencedores. O festival conta com o apoio do Funcultural (Fundo de Incentivo à Cultura), gerido pela Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte.

Segundo o coordenador estadual do Femic, Ivan Schmidt, o Festival já entrou para o calendário musical de Santa Catarina. “Esse ano percebemos que músicas foram compostas focadas na disputa do Femic. O nível artístico sobe a cada edição e o músico catarinense está notoriamente se preparando para os festivais”, avalia Schmidt.

Prêmio – Os músicos classificados das seletivas regionais para as semifinais receberam um prêmio de R$ 300. Os selecionados para a etapa final do Femic, em Florianópolis, recebem um prêmio de participação de R$ 1.250,00. A música vencedora será contemplada com R$ 30 mil, a segunda colocada com R$ 15 mil e a terceira com R$ 7 mil. As categorias de Melhor Intérprete, Melhor Instrumentista, Aclamação Popular e Revelação (três vencedores), serão premiadas com R$ 3 mil cada. Os doze melhores classificados participarão da gravação de um CD oficial do Festival. O Femic visa incentivar a produção musical no Estado e premiar compositores, músicas inéditas e intérpretes catarinenses.

Confira a lista dos finalistas do 3º Femic:

MARCUS DE OLIVEIRA COSTA INTRO AO DESTERRO – FPOLIS
CHICO MARTINS O SOL – FPOLIS
VICTORIA AFTALION CIGANOS – FPOLIS
JEAN CARLOS (TROMPETE) PERDI MEU SAMBA – FPOLIS
AMARO DA COSTA SAMBA NAS VEIAS – FPOLIS
LUANA LAUS VIDA SIMPLES – FPOLIS
SOCIEDADE SOUL COMIGO AQUI, COMIGO LÁ – FPOLIS
MARILDA WOLF E ANDRÉ LISBOA FLOR DA NOITE SOBRINHOS DO VENTO – LAGES
QUARTETO CORAÇAO DE POTRO SEM TI – LAGES
EDER BILLY CARVALHO TU ÉS – JOINVILLE
DOMICILIANO LOPES (DENTINHO) AOS DE CASA – JOINVILLE
RAFAELA VANTZ TEUS OLHOS NO HORIZONTE – JOINVILLE
DEDÉ SILVA / ANDRE ROSA OLHO D’AGUA – IBIRAMA
WESLEN BACHEGA / CRYS VANDER TRILHAS – IBIRAMA
BABY MEU SERTÃO É MEU MUNDINHO – TAIÓ
ROBSON E JOSIEL NÃO ERA PRA MIM – SÃO MIGUEL
ADELAR E REMI SONHO LINDO – PALMITOS
SÁ VICENTINI VIDA DE CABOCLO – CHAPECO
MÁRCIO PAZIN O AMOR NÃO MORRE – CHAPECO
RODRIGO CERINO DA SILVA QUANTO CUSTA – JOAÇABA
ARTHUR ZUCCHI BOSCATO MINHAS MILONGAS – JOAÇABA
INFRAVERMELHO CANÇÃO PARA A LUA – BRUSQUE
SUSAN BONADIMAN DIREITO DE SONHAR – ITAJAI
PHILL BITENCOURT DE FILHO PARA PAI – ITAJAI
SÉRGIO NEGRÃO O BICHO – ITAJAI
SÉRGIO ESPEZIM SEM VOCÊ NÃO – ITAJAI
AGIDE E AGIDEL VIOLA CAIPIRA – ARARANGUÁ
JORGE NANDO BEM MAIOR – CRICIÚMA
LONY ROSA ME EMPRESTA UM POUCO DE TERRA – ARARANGUÁ

spot_img
spot_img