15.9 C
fpolis
quinta-feira, maio 19, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Festival de Música da Grande Florianópolis divulga nome dos vencedores

spot_img

Festival de Música da Grande Florianópolis divulga nome dos vencedores

spot_imgspot_img

Rock, MPB, pop, bossa nova, reggae, chorinho, baião, samba, sambão, marcha, habanera, música clássica, erudita e instrumental, e até letras em francês fazem parte do repertório das 20 músicas selecionadas para o Festival de Música da Grande Florianópolis da Universidade Federal de Santa Catarina – Edição 50 anos. O resultado, divulgado nesta quarta-feira, 18, às 10 horas, pela Secretaria de Cultura e Arte da UFSC (SeCarte), em coletiva no Departamento Artístico Cultural (DAC), na presença dos autores contemplados, dá uma boa ideia do que será a I Mostra Musical no final deste mês: um espetáculo representando a diversidade, a originalidade, a qualidade e o experimentalismo da música produzida na Grande Florianópolis que ainda não ganhou espaço no mercado cultural.

Os vencedores participarão da I Mostra Musical em comemoração aos 50 anos da universidade, que ocorrerá nos dias 28 a 29 de agosto, na Praça da Cidadania da UFSC, e tem caráter não competitivo. Eles terão sua música gravada em um CD e DVD. Ao anunciar o nome dos vencedores, a secretária de Cultura e Arte da UFSC Maria de Lourdes Borges lembrou que o Festival veio para incentivar o surgimento de novos valores e propiciar a afirmação de nomes já reconhecidos no cenário musical da Grande Florianópolis.

O coordenador do Festival, o músico Marco Valente, que também coordena o Projeto 12:30, do DAC, salientou que o resultado premia a excelência técnica e a inovação artística que marcam as composições premiadas, algumas bastante arrojodas. “A comissão de seleção manteve um alto nível de exigência para dar visibilidade ao talento e à pesquisa musical, mas preservou o ecletismo, sem fazer nenhum tipo de discriminação a gênero ou ritmo”. Os critérios considerados foram qualidade de composição, de estilo, de execução, de interpretação e das construções harmônicas e melódicas.

Os 20 selecionados

Na terça-feira da próxima semana, a Comissão de Organização deverá realiza a primeira reunião técnica com os selecionados para cuidar da qualidade artística do espetáculo nos dias da Mostra e definir a ordem de apresentação dos artistas. Entre os contemplados estão músicos profissionais e amadores de Biguaçu, São José e de vários bairros de Florianópolis, a maioria jovem e estudante do sexo masculino de várias universidades e de vários campos do conhecimento.

Chama atenção a quantidade de melodias instrumentais de caráter experimental, como é o caso de William Fernandes de Souza, estudante de música da Udesc, 24 anos, que compôs uma habanera, ritmo ibérico trazido pelos colonizadores portugueses que lembra o terno de reis. William salienta a importância dos festivais para pesquisadores como ele, que gosta de brincar com elementos antigos da música clássica e ritmos brasileiros para criar uma estética nova. “Como compositor de música de orquestra, as chances de aproveitamento no mercado de Florianópolis são zero”. A estudante de Letras da UFSC Naya Rodrigues, 21 anos, que estuda violão desde os 14, comemorou a o fato de ter sua primeira composição selecionada em um festival. Ela optou por uma canção romântica intitulada “Olhos negros”, inspirada na bossa nova.

Mas também há artistas já tarimbados e premiados, como Eduardo Hector Ferraro, 48 anos, professor de música da Univali e integrante do grupo Arreio sem Freio, que foi eleito por “Cabra da Peste”, executada com pífanos, instrumento típico do baião e improvisações com flauta transversal. E Denise Castro, cantora e pianista profissional, foi escolhida pelo samba “Ninguém merece”, que justamente faz uma sátira criativa e bem humorada à mediocridade da música brasileira comercial: Vou fazer uma prece a São Pixinguinha/Que me livre de ouvir coisa ruim/Mesmo sendo minha/Pois ninguém merece aquilo que não combina/O que não sobe nem desce/cantor que desafina (…). Como vários outros participantes, ambos são músicos com diversas passagens pelo projeto 12:30 do DAC, focado no incentivo à produção artística local.

As músicas e os compositores selecionados entre um total de 47, por ordem de pontuação: 1. Eucaliptos ao vento, de José Otávio de Caldas Rosa, 2. Festa da 991, de Tiago Brizolara da Rosa, 4. Cabra da Peste, de Eduardo Hector Ferraro, 5. A Nova Casa, de Lucas Nunes Quirino, 5. Fille Faille, de Isabelle Quimper, 6. Sensato, da Banda Somato, 7. Carpe Diem, da Banda Jeremias Sem Cão, 8. Ninguém Merece, de Denise de Castro, 9. Na Sorte ou no Azar, de Eduardo Wagner, 10. Impossível, de Thiago José, 11. Jurema, de Francisco Muleka Ngoy; 12. Aqui estou Eu, de Kristian Korus, 13. Arbusto, de Fernando Rocha da Silva, 14. Touro, da Banda Blame, 15. Humungus, de Gabriel Felipe Horbatuik Dutra, 16. Frio, de Jean Marcelo Mafra e 17. Décimo Andar, de Erlon Evaldo Graboviski, 18. Escolha, de Jairo André Portela de Oliveira, 19. Olhos Negros, de Naya Rodrigues e 20. É uma habanera, de Willian Fernandes de Souza.

Por Raquel Wandelli/Jornalista na SeCarte
Contatos: (48) 9911-0524 – 3721-9459
raquelwandelli@gmail.com
raquelwandelli@reitoria.ufsc.br

spot_img