24.6 C
fpolis
segunda-feira, setembro 20, 2021
cinesytem

Fiesc firma parceria com Ministério Público em campanha contra a violência

spot_img

Fiesc firma parceria com Ministério Público em campanha contra a violência

A Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) passou a integrar o grupo de entidades parceiras do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) na ”Campanha Conte até 10”. O protocolo de intenções foi firmado sexta-feira, 29, na sede da Fiesc, pelo Procurador-Geral de Justiça, Lio Marcos Marin, e pelo presidente da Fiesc, Glauco José Côrte. As informações são da Assessoria de Imprensa do MPSC.

Criada pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), a ”Campanha Conte até 10” faz parte da Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (ENASP) para a valorização da vida e sensibilização para gravidade do crime de homicídio, em especial o cometido por impulso ou motivos fúteis. Caberá à Fiesc apoiar e divulgar a campanha junto às suas unidades administrativas, propondo a realização de atividades pedagógicas que levem à reflexão sobre violência.

A campanha é destinada especialmente ao desenvolvimento de trabalhos de conscientização junto aos estudantes, educadores, famílias e sociedade. Apesar do público-alvo diversificado, a iniciativa pretende abranger especialmente os jovens. Isso porque, segundo as estatísticas, eles são as principais vítimas e, ao mesmo tempo, o grupo que concentra grande parte dos autores desses tipos de homicídio. Nesta segunda fase, o alvo são os jovens das escolas de todo o país. Além de informar por meio dos roteiros de aula que serão ministradas pelos professores, a campanha ”Conte Até 10” nas escolas irá envolver promotores de Justiça dos Ministérios Públicos estaduais que atuam nas áreas de educação, infância e juventude. Os Ministérios Públicos estaduais vêm programando lançamentos locais da campanha para aproximar a sociedade do tema.

Vinte mil roteiros de aula serão distribuídos às escolas públicas e privadas de ensino médio, com prioridade para os cem municípios brasileiros com os maiores índices de mortalidade de jovens decorrente de homicídios, os quais foram identificados na pesquisa ”Mapa da Violência 2013 – Homicídios e Juventude no Brasil”, realizada pelas organizações não-governamentais FLACSO Brasil (Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais) e CEBELA (Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos). O estudo, feito em todas as 27 unidades da federação, revela que o homicídio é responsável por 39,3% das mortes de jovens de 15 a 24 anos; enquanto fora dessa faixa etária, esse percentual é de 3%. Oitenta e oito por cento desses estudantes estão nas escolas públicas brasileiras. A ideia é levar informação aos adolescentes que cursam o ensino médio, conscientizando-os a respeito do problema.
 

spot_img
spot_img

Leia mais