19.2 C
fpolis
terça-feira, setembro 28, 2021
cinesytem

FIMC segue até domingo em Florianópolis

spot_img

FIMC segue até domingo em Florianópolis

spot_img

A programação foi alterada, no sábado ficará aberto até meia-noite e domingo até às 24h

16/05 Sábado
10h Abertura
13h (Apas) Coral de Surdos e Mudos / Joaçaba
14h Grupo Folclórico Filhos da Terra / Palhoça
15h Grupo Ítalo-Brasileiro / Nova Veneza
16h (Apas) Coral de Surdos e Mudos Joaçaba
17h Grupo de Danças Colônia de Celso Ramos e Kendô / Frei Rogério
21h Grupo de Taikô Shimadaiko / Florianópolis
0h Encerramento

17/05 Domingo
10h Abertura
12h Grupo Polonês Orze Bialy / Criciúma
13h Grupo de Dança Afro Filhas de Olorum / Criciúma
14h Grupo Polonês Orze Bialy / Criciúma
15h Grupo de Dança Afro Filhas de Olorum / Criciúma
16h Associação Para-Folclórica Angelina Blahobrazos / Piçarras
17h Grupo Folclórico Açoriano Mixtura / Bombinhas
18h Associação Para-Folclórica Angelina Blahobrazos / Piçarras
19h Boi-de-Mamão de Jurerê / Florianópolis
20h Grupo Folclórico Açoriano Mistura / Bombinhas
23h Encerramento Evento

FIMC segue até domingo em Florianópolis

Festival leva para o Centrosul o estado de Santa Catarina com suas peculiaridades culturais, turísticas e históricas. As nove regiões catarinenses são apresentadas de maneira surpreendente aos visitantes – que devem superar os 50 mil até domingo

Apresentar Santa Catarina por completo, de leste a oeste, de norte a sul, tanto nos aspectos culturais, quanto nos históricos e turísticos, em um espaço de 7.605 m². É esse o propósito do FIMC – Festival de Integração Multicultural Catarinense – que segue até o próximo domingo, dia 17/05, no Centrosul, em Florianópolis.

As nove regiões em que se divide o estado estão representadas em mega cenários que tornam possível a ida das praias do litoral ao planalto serrano em poucos passos. Caminho dos Cânions, Encantos do Sul, Grande Florianópolis, Costa Verde & Mar, Vale Europeu, Caminho dos Príncipes, Serra Catarinense, Vale do Contestado e Grande Oeste são os nove núcleos regionais apresentados. Uma bernunça gigante, rádio com transmissão em alemão, artesãos esculpindo na madeira, além de um bondinho de Balneário Camboriú, são algumas das atrações que podem ser conferidas de perto pelo público.

O FIMC é promovido pela Assembléia Legislativa e pela FECAM, com o apoio do Funturismo do Governo do Estado de Santa Catarina e realização do Instituto Sustentar.

ARTESANATO SOCIAL DA FREGUESIA DO SEBRAE

O SEBRAE apresenta 17 projetos sociais de artesanato e agronegócios proporcionando aos produtores contato direto com os clientes.

Artesanato: Tapetes de Araranguá (tradição há mais de 100 anos); Rendas de Bilros (bem tradicional da cultura açoriana); Fibras; Balaios; Mulheres do Frei (projeto social que atende as mulheres da comunidade de Palhoça); Casa Catarina (que é uma Associação de artesões da serra catarinense e artesões da Grande Florianópolis); Arte Popular (incorporação de valor agregado à cultura); Trança da Terra (resgate cultural e agrícola da comunidade de Joaçaba) são alguns destes projetos.

Agronegócios: Mel, Cachaça, Ostra, Conservas e Geléias de várias regiões do estado.

ESTANDES DE MUNICÍPIOS, CONVENTIONS BUREAUS E ENTIDADES DO TRADE TURÍSTICO

Estão presentes no FIMC 19 prefeituras de municípios turísticos e 3 Associações de Municípios.

Os municípios com estandes são: Pomerode, Blumenau, Caçador, Treze Tílias, Joaçaba, Chapecó, Palhoça, Florianópolis, Laguna, Imbituba, Balneário Camboriú, Araranguá, São José, Joinville, Brusque, Governador Celso Ramos, Tubarão, Biguaçu e Ita. Também possuem estandes as Associações Microregionais das regiões da serra, Joinville e Balneário Camboriu. O trade turístico participa com espaço para as 8 principais entidades mais 11 Conventions Bureau .

GASTRONOMIA TÍPICA

A gastronomia das principais regiões e etnias estão presentes com 19 estandes na praça de alimentação.

Os restaurantes e gastronomia seca presentes são: Portugália, Árabe Albade, Crepes Mania, Doces Portugueses, Casa do Peixe Biguaçu, Comida típica italiana,Chez Altamiro, Boteco Boemia, La Provincia, Acarajé da Ju, Doces Alemães, Sushi Seiji, Ostradamus, Rancho Açoriano, Restaurante Buffet Haus, Embutidos,cucas e tortas alemãs de Pomerode, Casa de Pedra com trutas e entrevero, Empadas Jerk e De Vino com os melhores vinhos catarinenses.

APRESENTAÇÕES DE GRUPOS FOLCLÓRICOS, FILMES E VÍDEOS.

O FIMC tem dois espaços culturais. Um palco para apresentações culturais de 21 grupos folclóricos, de teatro, de coral, de dança e contação de história; e um anfi-teatro com exibição das produções audiovisuais do estado (Guerra de Sombra, Franklin Cascaes, Caminho de Peabiru, Etnias do Sul, A República de Laguna, Florianópolis – Uma história a ser contada e outros mais).

ESTANDES INSTITUCIONAIS

O FIMC também disponibilizou 10 estandes para os promotores, patrocinadores, apoiadores e expositores turísticos e veículos de comunicação.

Sobre os nove núcleos do FIMC:

CAMINHO DOS CANIONS

Rica na paisagem.
Rica no artesanato de fibra natural (artesanato diferenciado).
Instalação de Iglu revestido de fibra de bananeira.
Roda de engenho – representa a farinha de trigo (economia da região – característico também em todo o litoral catarinense).
Vídeo de corrida de caminhão (típico da região).

ENCANTOS DO SUL

Instalação da Mina de carvão mineral.

Ambientação de mina de carvão com vagonete e o carvão mineral.
Culinária italiana: instalação- ambientação falando da polenta: mock up de polenta, mesa italiana completa.
Cerâmica industrial – memorial de Maximiliano Gaidzinski.
Fases do azulejo desde os anos 60 até o século 21.

Instalação no centro do cenário: pesca do camarão.

GRANDE FLORIANOPOLIS

Bernunça Gigante

Vídeo de Franklin Cascaes fazendo esculturas de argila em seu ateliê.
Garoto caracterizado de Franklin Cascaes fazendo esculturas na areia.

Bonecos do grupo de Boi de Mamão, do Sambaqui
Cerâmicas utilitárias.

Cerâmicas figurativas.

Bruxa em tamanho de que dá conselhos.

Exposição de materiais de pesca artesanal.

COSTA VERDE MAR

Projeto Larus.

Ambientação de uma “canoa de um pau só”.

Instalação da família na praia.

Instalação do instituto Kate Schurmann.

Bondinho teleférico do Unipraias, com paisagem de Balneário Camboriú ao fundo.
Exposição de cachaça de Luiz Alves.

VALE EUROPEU

Mostra de cristais de Murano, do Museu Glass Plack de Blumenau.

No centro tem a carroça de passeio – uma das mais antigas da cidade de Pomerode.

Instalação de um rádio gigante, do início do século, com fones de ouvido.
Moto do Chopp.

Instalação do instituto de arquitetura e design de Pomerode.

Exposição com peças do museu da cerveja de Blumenau.

Matéria prima da cerveja.

Painel gingante com arquitetura enxaimel, com vídeo gigante mostrando Oktoberfest e cultura alemã do Vale.
Instalação da Madre Paulina com fotos de seus devotos.
Tear antigo de seda.

Vídeo com imagens de corredeiras de Ibirama.

CAMINHO DOS PRÍNCIPES

Simulação do palco, com imagens projetadas em tela gigante mostrando solos de bailarinos escola Bolshoi.
Figurinos de bailarinos usados nas apresentações.
Duas esculturas de arame suspensa no ar, de bailarinos, simulando a dança no ar.
Instalação das flores simbolizando o festival de Flores de Joinville
Primeiro barco a remo de Amyr Klink.

Maquete do barco Paraty, de Amyr Klink, utilizado na primeira travessia do Atlântico.
Vídeo da Maria Fumaça, de Rio Negrinho.

SERRA CATARINENSE

Ambientação de um galpão serrano com fogo de chão.

Toca do Leão Baio.
Instalação de maçã, mostrando em quatro olhos mágicos a mesma macieira em suas quatro estações.
Projeção gigante de cenas da Serra Catarinense: Urubici, Rio do Rastro, Corvo Branco, Cochilha Rica, Lages, Araucárias, etc.

VALE DO CONTESTADO

Ambientação do ateliê da família Thaler – esculturas em madeira – com os artesãos esculpindo ao vivo durante o Festival.

Memorial da Sadia – (Fogão antigo de cobre), Triturador de Carne.

Instalação de dois insetos gigantes.

Pulsar (objeto utilizado para capturar insetos)

Guerra do Contestado: representação de bonecos de todos os principais personagens da Guerra.

Documentário “Guerra dos Pelados”, de Silvio Back, retratando a Guerra do Contestado.
Cultura japonesa: instalação de bambu mostrando vários ideogramas representando palavras positivas (paz, gratidão, amizade, prosperidade, etc.)
Pássaro Suru feito em origami, da comunidade japonesa de Frei Rogério
Alho Shonã, desenvolvido pelos colonos japoneses, e premiado mundialmente. – assim como as peras nashi.

OESTE CATARINENSE

Peças do museu histórico Prof. Edvino Carlos Hosher.

Ambientação de um quarto de um tropeiro do início do século 20.

Peças indígenas.

Projeção gigante de cenas do oeste catarinense.

SERVIÇO

O quê: FIMC (Festival de Integração Multicultural Catarinense)

Quando: até 17 de maio de 2009

Local: Centrosul, em Florianópolis

Horários:

16/05 10h às 24h

17/05 10h às 23h

Valor:

R$ 6,00 Inteira

R$ 3,00 Meia (estudantes, idosos e crianças até 12 anos)

Realização: Instituto Sustentar

spot_img
spot_img

Leia mais