19.9 C
fpolis
quinta-feira, dezembro 9, 2021
cinesytem

Fiscalização começará nas casas noturnas com maior capacidade de público

spot_imgspot_img

Fiscalização começará nas casas noturnas com maior capacidade de público

spot_img

A prefeitura de Florianópolis será parceira do Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) e do Corpo de Bombeiros na fiscalização do cumprimento de normas de segurança e prevenção a incêndios das casas noturnas da cidade.

A determinação é do prefeito Cesar Souza Júnior (PSD), que nesta segunda-feira, 28, de Brasília, orientou uma reunião entre órgãos municipais e representantes do Corpo de Bombeiros, na Capital.

O prefeito afirmou que o trabalho de fiscalização será intensificado em todas as casas noturnas, a começar pelas que possuem maior capacidade de público.

Participaram da reunião o secretário do Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (SMDU), Dalmo Vieira Filho, o procurador-geral do município, Júlio César Marcellino Júnior, e o futuro superintendente de Serviços Públicos, Acácio Garibaldi Santiago.

Nesta segunda-feira, o promotor de Justiça da coordenadoria de Direitos Humanos do MP-SC, Daniel Paladino, anunciou a instauração de um inquérito civil público para investigar o funcionamento de todas as casas noturnas de Florianópolis, um dia após o incêndio que deixou 231 mortos em uma boate na cidade de Santa Maria (RS).

A SMDU vai prestar no mais curto espaço de tempo possível todas as informações requisitadas pelo representante do Ministério Público do Estado.

A tragédia

As vítimas, em sua maioria jovens, morreram asfixiadas. Segundo relatos de sobreviventes, o incêndio teria começado quando os efeitos pirotécnicos da banda Gurizada Fandangueira foram acionados e faíscas atingiram o isolamento acústico do teto.

Os bombeiros, voluntários e sobreviventes trabalharam no combate às chamas e na retirada dos corpos de dentro da boate entre as 2h30 e o início da manhã. A casa noturna não possuía saídas de emergência, e segundo alguns depoimentos os seguranças da porta de acesso à boate teriam impedido a saída das pessoas enquanto não tiveram certeza de que um incêndio consumia a casa.

O enterro coletivo das 231 vítimas ocorreria na manhã desta segunda-feira, 28.

spot_img
spot_img