18.9 C
fpolis
quinta-feira, dezembro 2, 2021
cinesytem

Florianópolis recebe Oficina do Monobloco pela primeira vez

spot_imgspot_img

Florianópolis recebe Oficina do Monobloco pela primeira vez

spot_img

Os ritmistas catarinenses podem comemorar, pois a Oficina do Monobloco será realizada pela primeira vez no Estado. Florianópolis foi a cidade escolhida para receber uma das principais oficinas de percussão do mundo. O workshop será realizado no dia 6 de novembro, das 15h às 19h, na sede do bloco carnavalesco Baiacu de Alguém, em Santo Antônio de Lisboa.

A Oficina é um projeto de ensino de percussão e trabalha com os instrumentos utilizados pelas baterias das escolas de samba (surdos, caixa, repique, tamborim, agogô, chocalho e cuíca), mas em um universo musical que ultrapassa a linha do samba e cria arranjos e adaptações para diversos ritmos como coco, funk, ciranda, marcha, xote, maculelê, quadrilha, samba-charme, congo e ijexá.

O maestro Celso Alvim, um dos fundadores do Monobloco e coordenador da Oficina, será o músico que irá ministrar o workshop do Monobloco em Florianópolis.

Para participar da Oficina do Monobloco em Florianópolis é necessário ser iniciado em instrumentos de percussão. As vagas são limitadas, apenas 40, e as inscrições serão realizadas pelo e-mail monoblocofloripa@gmail.com, no valor de R$ 40 até o dia 31 de outubro, após a data o valor será de R$ 60. Todos os participantes receberão certificado.

Oficina do Monobloco

A Oficina do Monobloco é um projeto de ensino de percussão, fundado em 2000, no Rio de Janeiro, pelos integrantes do grupo Pedro Luís e A Parede (PLAP). Na cidade carioca, as aulas são realizadas de maio a janeiro para turmas de iniciantes e de avançados.

Mas os professores da oficina também percorrem o país e o mundo para ministrar os workshops. No exterior já foram ministradas oficinas na Inglaterra, Irlanda, Dinamarca, Austrália, Nova Zelândia e Japão.
Os professores responsáveis pela Oficina são: Maestro Celso Alvim, C.A. Ferrari, Sidon Silva, Mário Moura, Fred Castilho, Leo Saad, Junior Teixeira, Ernani Cal e Mestre Maurão.

Perfil Maestro Celso Alvim

Maestro e um dos fundadores do Monobloco, Celso Alvim começou a carreira em 1988, como baterista, tocando com grupos como João Penca e Seus Miquinhos Amestrados. Aos poucos, foi se interessando pelo universo da percussão brasileira. Em 1990, participou como percussionista do show de Antônio Saraiva, no Espaço Cultural Sérgio Porto. Esse trabalho teve forte influência na concepção do grupo Pedro Luís e A Parede (PLAP). Atualmente, toca bateria e percussão na PLAP, coordena as oficinas do Monobloco e toca com o Monobloco Show.

Monobloco

Consagrado por incorporar diversos ritmos e estilos musicais à batida do samba, o Monobloco foi idealizado, em 2000, pelos integrantes da banda Pedro Luís e A Parede – Pedro Luís (voz, violão e guitarra), Mário Moura (baixo), C.A. Ferrari, Sidon Silva, Celso Alvim (bateria e percussão). O grupo começou como uma oficina com a intenção de ensinar batucada. No final do primeiro ano, o Monobloco fez um desfile na cidade do Rio de Janeiro e se oficializou como um bloco do carnaval carioca.
Em 2007, o bloco reuniu 40 mil pessoas em Copacabana, em 2008, foram 200 mil e em 2009, o bloco foi transferido para o centro do Rio de Janeiro e atraiu uma multidão de 400 mil pessoas, fazendo do Monobloco o segundo maior bloco do carnaval carioca.

Com o sucesso, o Monobloco começou a fazer shows pelo Brasil e pelo mundo e atualmente está entre os grupos brasileiros que contabilizam mais apresentações durante todo o ano.
O repertório eclético vai das marchinhas tradicionais de João Roberto Kelly ao samba de Cartola e Clara Nunes, passando pelo xote de Alceu Valença, o forró de Luiz Gonzaga, o funk de MC Leonardo, até canções de Paralamas do Sucesso, Raul Seixas e Tim Maia. No repertório do show, músicas como Taj Mahal, Fio Maravilha, País Tropical e Santa Clara Clareou, de Jorge Benjor; Rap do Real, de Pedro Luís e Rodrigo Maranhão e São Gonça, do Farofa Carioca. A mistura inusitada também está presente na bateria. Aos tradicionais instrumentos de escola de samba – como cavaco, repique, tamborim, chocalho, surdo e agogô – foram incorporados à batucada um baixo e uma guitarra.

Serviço:
Oficina do Monobloco em Florianópolis
Quando: 6 de novembro (domingo)
Horário: das 15h às 19h
Local: Sede do bloco carnavalesco Baiacu de Alguém (Rua Padre Lourenço R. de Andrade, 650 – Santo Antônio de Lisboa – Florianópolis – SC)
Valor da inscrição: R$ 40 (até o dia 31 de outubro, após R$ 60)
Mais informações: monoblocofloripa@gmail.com / (48) 9969-1687

spot_img
spot_img