27.1 C
fpolis
terça-feira, novembro 30, 2021
cinesytem

FITA FLORIPA: Festival Internacional de Teatro de Animação movimenta a cidade até domingo

spot_img

FITA FLORIPA: Festival Internacional de Teatro de Animação movimenta a cidade até domingo

spot_img

Cortejo de bonequeiros é destaque do Fita Floripa na segunda-feira

Seis apresentações nas ruas e em teatros, mais um cortejo de bonecos pelo centro de Florianópolis, são alguns dos destaques desta segunda-feira (21) no 4º Fita Floripa – Festival Internacional de Teatro de Animação.

O cortejo sai dos jardins do Palácio Cruz e Sousa, às 16h, com a presença de vários diretores teatrais, atores, pernas de pau, bonequeiros e um bloco de maracatu, o Arrasta Ilha.

A “procissão” ocorre logo após a encenação de As Aventuras de Uma Viúva Alucinada, do Grupo Mundaréu, de Curitiba, que começa uma hora antes, às 15h.

Do palácio, o cortejo caminha em direção ao Largo da Alfândega, onde encontrará o professor Olaf Stevenson, personagem da peça Le Polichineur de Tiroirs, do grupo belga Chemins de Terre, que se aprensenta às 17h.

Dentro das variadas possibilidades que o teatro de animação e de rua oferece, os dois grupos trabalham com linguagens distintas. O Mundaréu, que recebeu o Prêmio de Teatro Myriam Muniz de 2009, constrói seus espetáculos a partir de formas e conteúdos da cultura popular, aliando sua dramaturgia com a presença de bonecos, teatro de máscaras, dança e música.

Já o grupo belga Chemins de Terre, com Le Polichineur de Tiroirs, apresenta uma versão do clown, construindo seu espetáculo principalmente através da manipulação de objetos inusitados.

Outras três apresentações, agora em salas fechadas, fecham o segundo dia do Fita, todas às 20h. Quem não assistiu Don Juan, Memoria Amarga de Mí, na abertura, do grupo espanhol Pelmanèc, terá uma nova oportunidade, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC.

O grupo franco-espanhol Pelele Marionettes, um dos destaques internacionais do Fita, apresenta Los funestos esponsales de Don Cristóbal, no Teatro da UFSC. Don Cristobal é um velho rico e egoísta, que vive feliz rodeado de sua fortuna, até que uma mulher misteriosa passa a fazer parte de seus sonhos.

Já o grupo Mamulengo Presepada, uma das grandes referências no teatro de animação de Brasília, apresenta O Romance do Vaqueiro Benedito, peça que circula teatros e festivais há mais de dez anos. Por meio de personagens clássicos da cultura popular nordestina, o bonequeiro Chico Simões alia música e dança a um texto coloquial e cômico para narrar a vida de um simples vaqueiro apaixonado.

Mais informações no site www.fitafloripa.com.br

O QUÊ: 4º Fita Floripa – Festival Internacional de Teatro de Animação.

QUANDO: De 20 a 27 de junho.

ONDE: Centro de Cultura e Eventos, Concha Acústica e Teatro da UFSC, Centro de Artes da UDESC, Teatro Álvaro de Carvalho, Largo da Alfândega, Palácio Cruz e Sousa, Apae e Orionópolis (Florianópolis) e Teatro Elias Angeloni, Praça Nereu Ramos e Teatro de Arena (Criciúma) e Teatro do Sesc (Joinville).

QUANTO: Entrada gratuita, com exceção dos espetáculos no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, Teatro da UFSC e Teatro Álvaro de Carvalho, com ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Dia 21 (segunda)

12h30 / As Aventuras de Uma Viúva Alucinada
Grupo Mundaréu (Curitiba)
Concha Acústica – UFSC

15h / As Aventuras de Uma Viúva Alucinada
Grupo Mundaréu (Curitiba)
Jardins do Palácio Cruz e Sousa

16h / Cortejo de bonecos
Saída dos Jardins do Palácio Cruz e Sousa e chegada no Largo da Alfândega

17h / Le Polichineur de Tiroirs
La Compagnie des Chemins de Terre (Bélgica)
Largo da Alfândega

20h / Don Juan, Memoria Amarga de Mí
Companyia Pelmànec (Espanha)
Centro de Cultura e Eventos – UFSC

20h / Los funestos Esponsales de Don Cristóbal
Pelele Marionettes (França / Espanha)
Teatro da UFSC

20h / O Romance do Vaqueiro Benedito
Mamulengo Presepada (DF)
SESC


Sobre o Fita Floripa 2010

O encontro reúne em Florianópolis, espetáculos para crianças e adultos, oficinas e exposições, além de artistas da América Latina e Europa

Com mais de 40 apresentações de 15 grupos da Bélgica, Espanha, França, Alemanha, Peru, Chile e de vários estados brasileiros, ocorre de 20 a 27 de junho, em Florianópolis, Criciúma e Joinville, o 4º Fita Floripa – Festival Internacional de Teatro de Animação.

A Cia Pelmànec, da Espanha, especializada em teatro de bonecos, é um dos destaques internacionais com a peça Don Juan, Memória amarga de Mi. No espetáculo, ao contrário da maioria das versões do mítico galanteador, este Don Juan tem idade avançada. Ao final da vida, enfermo e sob os cuidados de um frade, ele revisita suas memórias.

Do Chile, vem a companhia Teatro Viaje Inmóvel, com El Último Heredero, uma história que fala de casamentos arranjados, guerras e vinganças. Transcorre na época colonial e é protagonizada por uma família que vive em uma fazenda e esconde um segredo que vai despertar no meio de uma guerra civil.

Um dos representantes do Brasil é o grupo paulistano Cia Truks Teatro de Bonecos, com Cidade Azul. O enredo fala de como nasce, cresce e se fortalece uma comovente amizade entre duas crianças de realidades diferentes: um menino de rua e uma menina de classe média perdida pelas ruas.

O Fita Floripa surgiu em 2007 para ampliar o acesso a espetáculos de teatro de boneco e animação no país e divulgar suas diferentes linguagens para o público. A idealizadora é a professora de artes cênicas Sassá Moretti, que via a necessidade de um grande festival também para que os alunos vissem de perto as inúmeras técnicas de manipulação e o trabalho minucioso de reconhecidos grupos de teatro.

Oficinas, debates e exposições – O festival ocupa praticamente todos os espaços culturais de Florianópolis: Centro de Cultura, Igrejinha, Concha Acústica e Teatro da UFSC, Udesc, Teatro da Ubro, Teatro Álvaro de Carvalho e Centro de Criatividade em Arte. Também sediam espetáculos os Jardins do Palácio Cruz e Sousa, Largo da Alfândega, Hospital Infantil e Casa de Repouso Irmãos Joaquim, além das apresentações de Criciúma e Joinville.

Durante o festival ocorre a Mesa de Conversa, com o tema A Dramaturgia do Objeto, com a participação de atores, diretores, professores e críticos. O debate visa discutir o corpo como objeto na peça Women´s, do Grupo (E)xperiência Subterrânea, e o boneco como personagem autônomo na montagem A Galinha Degolada, da Companhia de Teatro Persona.

Para a edição deste ano estão programadas três oficinas gratuitas de 20 horas cada uma: Dramaturgia criativa para títeres e objetos com Maurício Kartun (Argentina), Teatro de Sombras com Alexandre Fávero da Cia. Teatro Lumbra de Animação (Rio Grande do Sul) e Introdução ao Teatro de Animação com o Grupo Sobrevento (São Paulo). Uma oficina permanente sobre construção de bonecos com materiais recicláveis, também gratuita, será oferecida a estudantes das séries iniciais do ensino fundamental.

Outra atividade do Festival é a exposição de bonecos, com o objetivo de exibir as variantes da linguagem do teatro de animação e aproximar o público de conteúdos e materiais específicos do gênero.

spot_img
spot_img

Leia mais