25.9 C
fpolis
domingo, dezembro 5, 2021
cinesytem

Fundação Catarinense de Educação Especial lança programas pioneiros de inclusão em Florianópolis

spot_imgspot_img

Fundação Catarinense de Educação Especial lança programas pioneiros de inclusão em Florianópolis

spot_img

Dois projetos para inclusão de deficientesna sociedade, inéditos no
Brasil, foram lançados nesta segunda-feira (26), em Florianópolis. Através
de modernos e didáticos programas, os alunos poderão ter a vida facilitada
nas escolas catarinenses a partir de 2012, quando a distribuição será
feita por parte do Governo do Estado. „O resultado deste trabalho vai ser
muito bom, sobretudo do ponto de vista humano, de inserção e de qualidade
de vida aos que necessitam deste atendimento especial‰, avalia o
governador Raimundo Colombo.

O programa Libras Brincando é uma maneira inovadora de ensinar libras às
pessoas, lúdica e com uma estratégia pedagógica adequada. Os jogos, com
animação de intérprete de libras e temas como frutas, alimentação,
animais, cores e grau de parentesco, possibilitam o ensino online da
língua brasileira de sinais a crianças surdas e ouvintes.

Em todo o Brasil, há 5,7 milhões de pessoas com audiência deficiência
auditiva, sendo 520 mil jovens de até 17 anos e 56 mil alunos matriculados
na rede de ensino básico. Um grave dado mostra que 26% dos jovens com
menos de 17 anos não freqüentam as instituições de ensino. Em Santa
Catarina, o programa vai atender a dois mil alunos de toda rede pública.

Segundo dados do Censo Escolar de 2008/2009, feito pelo Ministério da
Educação, 55 mil alunos têm grave deficiência visual no país, sendo quase
cinco mil cegos. Para facilitar o acesso ao conhecimento dos educandos, a
Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) preparou o Manual de
Adaptação de Livros Didáticos para Transcrição do Sistema Braille. O
programa auxilia o docente a fazer a conversão de textos, de um código
para outro, sem alterar o conteúdo original dos livros.

A publicação tem ilustrações coloridas e instruções de como deve ser o
procedimento dos professores para atender as necessidades dos alunos com
deficiência visual, em diferentes disciplinas. O livro será destinado a
Centros de Apoio Pedagógico (CAPs), Serviços de Atendimento Educacional
Especializado, instituições de ensino superior, educadores, pais e
familiares dos educandos.

A presidente da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), Rose
Bartucheski, analisa que poucas pessoas fazem este trabalho. Nós queremos
que haja um grande volume de pessoas fazendo esta adaptação para que se
consiga imprimir mais obras e deixar à disposição. Essa é uma obra inédita
e vai melhorar muito o ensino aos alunos deficientes, conclui.

spot_img
spot_img