23.3 C
fpolis
sexta-feira, dezembro 3, 2021
cinesytem

Futuro de Florianópolis em análise no Jornal Fato & Versão

spot_imgspot_img

Futuro de Florianópolis em análise no Jornal Fato & Versão

spot_img

Jornal-laboratório do curso de Comunicação Social – jornalismo – da Unisul considera o crescimento de Florianópolis insustentável

Os acadêmicos da disciplina “Projeto de Mídia Impressa”, do curso de Jornalismo do campus Grande Florianópolis, produziram a 21° edição do Fato & Versão. O jornal-laboratório efetuou uma previsão das condições de vida na capital nos próximos cinco anos diante do crescimento demográfico, da especulação imobiliária e do impacto ecológico.

Foram estudiosos, pesquisadores, parlamentares, lideranças comunitárias e administradores públicos que diagnosticaram os problemas ambientais e de infraestrutura urbana na capital e seu entorno. Também discutiram saídas para manter a qualidade de vida e evitar um colapso urbano e nas áreas com repercussões no trânsito, saneamento, abastecimento de água, lixo, patrimônio histórico e cultural etc.

A professora Raquel Wandelli instigou os acadêmicos à pesquisa da pauta: “Em um processo de negociação de interesses individuais e coletivos, optamos por fazer uma edição com perfil de dossiê sobre o presente e o futuro de Florianópolis, aproveitando a emergência do movimento popular em torno do Plano Diretor”.

O primeiro passo foi a organização de um grande debate sobre a questão do crescimento de Florianópolis na Unisul reunindo especialistas de diversas áreas com o objetivo de preparar os alunos para a tarefa. “Os alunos participaram da gestão e execução de todo o jornal, desde o conceito até a diagramação”, destaca Raquel.

Sete matérias preenchem as páginas do impresso. No editorial, o acadêmico Rafael Pessi afirma que o colapso da Grande Florianópolis tem hora marcada. Felipe Reis, diz que o esgoto é para poucos em Florianópolis, principalmente no bairro Campeche. Já Mouriell Lanza aponta soluções para os aterros sanitários com a geração de energia elétrica.

A cobertura do debate sobre as atuais condições de vida e a viabilidade futura da Grande Florianópolis foi realizada por Laís Moser nas páginas centrais. Ela também mostrou estatísticas que explanam o quanto a cidade cresceu nos últimos 20 anos e o quanto pode crescer até 2050.

Com o título Terra em Transe, Janaína Souza de Jesus escreveu sobre uma catástrofe anunciada. Ela apresenta estudo sobre o futuro do trânsito em Florianópolis, aponta projeto da Prefeitura de Florianópolis de um túnel subaquático que ligaria a Ilha ao continente e analisa as alternativas de transporte.

Camila Jardim, Karine Santos e Tamires Rodrigues afirmam que o perfil da capital catarinense se transfigurou velozmente nas últimas duas décadas. Dizem que o caos se instalou e que o transtorno é parte do dia a dia de turistas e moradores.

A acadêmica Joana Cabral aborda as definições do Plano Diretor de Florianópolis para as áreas de preservação cultural. Foram estipuladas quatro Áreas de Preservação Cultural: de interesse histórico, arquitetônico, paisagístico e de memória. Ainda na contracapa Cadu Duarte assina uma matéria sobre a especulação imobiliária e sua relação com o turismo e a mobilização da sociedade em torno da aprovação de um plano diretor que garanta um desenvolvimento responsável. O projeto gráfico foi idealizado pelo acadêmico Rafael Pessi.

A versão on-line pode ser lida no endereço: http://issuu.com/rafaelpessi/docs/fato-versao-ed21

spot_img
spot_img