16.9 C
fpolis
domingo, setembro 26, 2021
cinesytem

Gestores estão reunidos em Florianópolis para falar do presente e do futuro da Saúde

spot_img

Gestores estão reunidos em Florianópolis para falar do presente e do futuro da Saúde

spot_img

Durante todo o dia de hoje (19), gestores da Saúde estadual estão reunidos na Associação Catarinense de Medicina (ACM), em Florianópolis, para tratar do presente e do futuro da saúde em Santa Catarina. O secretário Dalmo de Oliveira e o adjunto Acélio Casagrande estão conversando com gerentes, superintendentes e diretores de diferentes áreas.

Às 9h, o secretário Dalmo abriu o evento falando das dificuldades e dos avanços da saúde pública nos últimos 30 anos. “Temos registrado avanços enormes na saúde, nas últimas décadas”, avaliou o secretário, ressaltando, contudo, que as principais dificuldades hoje estão concentradas nos hospitais. A tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), sem reajuste há mais de uma década, é um dos principais entraves.

O secretário anunciou o orçamento da Secretaria de Estado da Saúde em 2013, que é de R$ 1,5 bilhão, enquanto que no ano passado foi de R$ 1,4 bilhão. Entre os investimentos, Dalmo de Oliveira ressaltou que nos dois primeiros anos do governo Raimundo Colombo, foram aplicados R$ 224 milhões em convênios, sendo R$ 165,9 milhões em média e alta complexidade. Foram 178 convênios envolvendo reformas, ampliações das unidades hospitalares, equipamentos, materiais permanentes e custeio.

O programa contínuo de cirurgias eletivas já realizou 29 mil cirurgias hospitalares (com internação) e ambulatoriais (sem internação), com investimento da ordem de R$ 21,9 milhões.

Foco nos futuros investimentos

O secretário-adjunto Acélio Casagrande falou dos investimentos que serão feitos este ano e em 2014, através do Pacto da Saúde. “A sociedade vai perceber as ações do Pacto da Saúde através de maior oferta de leitos, salas cirúrgicas, ambulatórios e serviços”, explicou o secretário Acélio Casagrande. Através do Pacto da Saúde, serão construídos 902 novos leitos e 137 leitos de UTI, entre outras melhorias dentro das unidades hospitalares.

Serão construídas 10 novas policlínicas. Em cada uma, o governo catarinense vai investir R$ 7,5 milhões, entre obras e equipamentos. Outras 11 serão reformadas, com recursos estaduais da ordem de R$ 2,5 milhões, cada.

Ainda no período da manhã, o secretário Dalmo de Oliveira falou dos bons feitos da saúde. O menor índice de mortalidade infantil da década alcançado em 2012, com 10,1 mortes a cada mil nascidos vivos, foi ressaltado por Dalmo de Oliveira. Outro destaque é a liderança catarinense no número de doadores de órgãos. Em 2012, Santa Catarina liderou o ranking de doações no Brasil, com índice de 26,4 doadores por milhão de população. Há dois anos consecutivos o Estado lidera o ranking. “Serviços nossos, como o SAMU, o Hemosc e o combate à dengue são excelência e os serviços bem prestados têm de ser reconhecidos”, ressaltou o secretário.

Durante a tarde, o secretário e o adjunto promoveram um bate-papo com os gestores em Saúde de todo o Estado, com objetivo de aproximar o diálogo entre os diferentes setores da saúde. O evento “Presente e Futuro” foi encerrado com a palestra “Fazer Acontecer na Gestão Pública”, ministrada por Ainor Lotério.

spot_img
spot_img

Leia mais