23.2 C
fpolis
segunda-feira, setembro 27, 2021
cinesytem

Grupo Mulheres ACATE vai mapear o perfil feminino do ecossistema de tecnologia catarinense

spot_img

Grupo Mulheres ACATE vai mapear o perfil feminino do ecossistema de tecnologia catarinense

spot_img

 

Objetivo é propor novas ações para fortalecer o protagonismo das mulheres no setor

 

Aumentar a participação feminina na área tecnológica é um grande desafio para os ecossistemas empreendedores. Segundo dados do ACATE Tech Report 2020, em 2015, cerca de 29,5% dos empreendedores eram mulheres, mas, em 2019, a taxa caiu, passando para 26,1%. Quanto ao número de colaboradores de empresas de tecnologia no Brasil, apenas 36,2% são mulheres. Embora esse número tenha crescido 60% nos últimos cinco anos — indo de 27,9 mil mulheres para 44,5 mil em 2019 — ainda assim, é perceptível uma participação muito baixa no setor (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados — CAGED). 

 

Para entender melhor quem são essas mulheres, o grupo Mulheres ACATE, da Associação Catarinense de Tecnologia – que completou três anos de atuação neste mês de abril -,  lançou uma pesquisa que pretende traçar o perfil feminino do ecossistema catarinense. Todas as mulheres que atuam em empresas de base tecnológica em Santa Catarina estão convidadas a participar,  basta responder a pesquisa pelo  link até o dia 13 de maio. 

 

Além de mapear cargos, setor de atuação das empresas, faturamento médio, número de colaboradores, entre outros, a pesquisa visa entender quais as boas práticas adotadas pelas mulheres em suas empresas, e as principais dificuldades enfrentadas em suas trajetórias profissionais. A diretora do Mulheres ACATE, Gisele Machado, explica que o levantamento é de fundamental importância para orientar as novas ações do grupo conforme o perfil e interesse das mulheres do ecossistema, fortalecendo e aumentando a atuação feminina no setor e promovendo uma mudança de cultura nas empresas. 

 

“Apesar de já termos alguns dados, com a pesquisa vamos entender melhor quem são as mulheres e suas dores, o que vai nos ajudar nos próximos passos, pensando em ações estratégicas para o futuro das mulheres que já estão na tecnologia e as que ainda virão”, ressalta.. 

 

O grupo Mulheres ACATE foi criado em abril de 2018 e tem o propósito de fortalecer o protagonismo feminino no universo tech e, assim, transformar a cultura empreendedora, impactando o ecossistema e o tornando mais igualitário, justo, criativo, inovador e diverso. Além da pesquisa, o grupo está realizando uma série de ações para comemorar os três anos de atuação. A próxima delas será uma rodada de pitches para mulheres empreendedoras. 

 

Atualmente reúne cerca de 165 participantes – CEOs, fundadoras de empresas, empreendedoras, interlideranças, e mulheres  que ocupam cargos técnicos – e está estruturado em quatro comitês: Geração de Negócios, que tem o objetivo de promover treinamentos e capacitar as mulheres ativas para que atuem em outros projetos; Comitê Evento , que trabalha na organização de um grande evento abordando as diversas temáticas profissionais do universo das mulheres; Comitê T&D (Treinamento e Desenvolvimento), com objetivo de gerar as oportunidades reais entre as mulheres do ecossistema catarinense e outros players estaduais, nacionais e internacionais; e Vagas & Oportunidades, conectando empresas com as mulheres que buscam vagas. 

O Grupo se reúne mensalmente na segunda segunda-feira do mês, das 17h30 às 19 horas. Podem participar regularmente dos encontros e ações desenvolvidas todas as mulheres de empresas associadas à ACATE e entidades parceiras. Mais informações em https://sc.acate.com.br/mulheres-acate

 
spot_img
spot_img

Leia mais