17.2 C
fpolis
terça-feira, maio 17, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Líder do tráfico em comunidade do Continente é preso em operação conjunta das polícias Militar e Civil

spot_img

Líder do tráfico em comunidade do Continente é preso em operação conjunta das polícias Militar e Civil

spot_imgspot_img

Os 11 principais alvos do tráfico de drogas e envolvidos com posse irregular de armas de fogo tiveram seus mandados de prisão temporária cumpridos durante uma megaoperação policial envolvendo 120 policiais civis e 80 policiais militares, neste sábado, 30, no bairro Monte Cristo, na região continental de Florianópolis. Entre os detidos estava um dos líderes do tráfico de drogas da localidade Chico Mendes, além de três adolescentes apreendidos. As informações são da Assessoria de Comunicação do Governo do Estado. 

O balanço da ação divulgado na sede da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), nesta segunda-feira, 1, apresentou, além do número de detidos, a apreensão de três armas de fogo (dois revólveres calibre .38 e uma pistola calibre .765), cerca de 70 munições, 1,5Kg de maconha, 200 gramas de cocaína, 150 pedras de crack. Em função das apreensões, três pessoas responderão em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas ou posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e/ou restrito. Os policiais também recuperaram um colete balístico da Polícia Civil do Paraná, dois binóculos, dois rádios comunicadores e dois celulares. 

Conforme um dos coordenadores da operação, o delegado da Divisão Especializada no Combate ao Narcotráfico (Denarc) da Deic, João Fleury, a operação – denominada Ordem e Progresso – foi uma resposta das polícias Civil e Militar tendo em vista os gravíssimos delitos que estavam ocorrendo nas comunidades Chico Mendes e Nova Horizonte, localizadas no bairro Monte Cristo. Fleury aponta que este clima de guerra nestas duas comunidades é motivado pela disputa entre os pontos de tráfico, o que gerou homicídios entre os membros criminosos, constante ameaça que transcende para a população e para a polícia que era recebida hostilmente. 

A investigação que gerou as representações dos mandados de prisão e os 29 mandados de busca e apreensão, onde estariam residindo os suspeitos ou poderiam estar sendo utilizados para a guarda ou ocultação de drogas e armas, iniciou há cerca de um mês pela equipe da Denarc/Deic e contou com a troca de informações direta com o 22° Batalhão da Polícia Militar, comandado pelo coronel Marcos Barreto Valença, atuando na coordenação da operação policial, juntamente com o delegado João Fleury. 

Enquanto que por parte da Polícia Civil as investigações continuam, a Polícia Militar deflagra operação no bairro, que hoje conta com cerca de 20 mil habitantes. Participaram da operação policiais civis da Deic, da Diretoria de Polícia da Grande Florianópolis (DPGF), Coordenadoria de Operações Policiais Especiais (COPE), Serviço Aeropolicial (SAER) de Tijucas e de Porto Belo. De forma integrada, participaram os policiais militares do 22° Batalhão da Polícia Militar, Batalhão de Aviação da PM, Choque, Canil e outras unidades da 1ª e 11ª Região da Polícia Militar.

spot_img