30.3 C
fpolis
sábado, janeiro 22, 2022
cinesytem

Preparação para Olimpíada do Rio: seleção alemã de natação treina na Grande Florianópolis

Preparação para Olimpíada do Rio: seleção alemã de natação treina na Grande Florianópolis

spot_img

A Seleção de Natação da Alemanha chegou na manhã desta terça-feira, 19, e foi recepcionada pelo técnico campeão mundial, medalhista olímpico e professor da Unisul, Carlos Camargo, no Complexo Aquático da Unisul Unidade Pedra Branca, em Palhoça, na Grande Florianópolis. Os atletas ficarão em processo de aclimatação até o dia 2 de agosto, se preparando para os Jogos Olímpicos do Rio, quando partem para a capital fluminense.

A delegação da Alemanha é formada por quinze atletas de ambos os naipes, oito técnicos, um cozinheiro, três fisioterapeutas, dois biomecânicos, além de dois médicos. Entre os nadadores com maiores chances de medalhas na Olimpíada estão Marco Koch, Paul Bierdermann e Franziska Hentke. “Essa é a minha primeira vez no Brasil. A piscina parece muito boa e achei legal ser dentro de uma universidade. Estou com a saúde física e mental muito boas e agora espero ajustar detalhes nessas duas semanas”, disse Paul Bierdermann. O atleta foi campeão mundial em disputa contra Michael Phelps, além de bater o recorde mundial de Ian Thorpe nos 200 metros livre.

Para o técnico chefe da Seleção, Henning Lambertz, a Unisul não mediu esforços para recebê-los da melhor maneira. “Escolhemos esse lugar porque é maravilhoso. Está tudo preparado com novos equipamentos, área para treino funcional, musculação, além do hotel que é muito bom”, elogiou. Entre as estrelas da equipe também estão jovens estreantes em Jogos Olímpicos como Leoni Kullmann, de dezesseis anos. “Espero adquirir experiência e ir bem nas provas de nado livre”, comentou.

Os diretores dos três campi da Unisul, Hércules Araújo, da Grande Florianópolis, Heitor Wensing Júnior, de Tubarão, e Fabiano Ceretta, UnisulVirtual, acompanharam a chegada da delação alemã no Complexo Aquático. “Assim fechamos um ciclo completo do esporte. O social, o acadêmico e agora o olímpico. Para a universidade é um momento especial”, avaliou Araújo. A coordenadora do curso de Educação Física, professora Maria Letícia, disse que a interação dos alunos deve ser com muita cautela. “Respeitando as individualidades e as necessidades que a delegação impõe. A gente sempre enfatiza em sala de aula a ciência no esporte, então estão aí duas pessoas que centralizam todos esses dados de acordo com as necessidades do técnico e da equipe e participam ativamente das tomadas de decisão. Acho que isso é fundamental para o sucesso e rendimento”, avaliou.

spot_img
spot_img