21.6 C
fpolis
quinta-feira, outubro 28, 2021
cinesytem

Orquestra Filarmonia de Santa Catarina se apresenta em Florianópolis

spot_img

Orquestra Filarmonia de Santa Catarina se apresenta em Florianópolis

spot_img

Composições catarinenses e nacionais fazem parte do programa que passará por Florianópolis, Laguna e Criciuma.

A música clássica catarinense, seguida pelas memoráveis criações do maestro Villa-Lobos são a inspiração para mais uma apresentação da Orquestra Filarmonia de Santa Catarina, que leva a sua turnê 2011 para mais três municípios.

Sob regência do maestro Gustavo Lange Fontes, a orquestra irá interpretar a Sinfonia de Câmara (2010, primeira audição – à Walter Lange Jr.), seguida pela composição Divertimento (1959), de Edino Krieger e Bachianas Brasileiras n°9 (1945), de Heitor Villa-Lobos (1887-1959). A abertura do programa será no próximo dia 15 de abril, a partir das 21h, no Teatro Alvaro de Carvalho, em. Na sequência, as apresentações ocorrem em Laguna(17/04) e Criciúma (18/04). Todos os concertos da turnê 2011 da Orquestra Filarmonia de Santa Catarina são viabilizados pelo Ministério da Cultura.

Sobre a Orquestra Filarmonia Santa Catarina

Composta atualmente por 15 integrantes, a Orquestra é resultado da união de músicos catarinenses que tinham um objetivo em comum: Formar uma orquestra reunindo apenas músicos com formação profissional e integralmente dedicados à atividade musical, o que se transformou em um dos seus principais diferenciais, perceptível na formação de alta qualidade artística.

Sobre o Programa

Gustavo Lange Fontes (*1977), Sinfonia de Câmara

O primeiro movimento é um A-B-A’ em que A apresenta variantes pós-tonais contrastantes entre si de um mesmo motivo, B surpreende com seu universo pós-serial, até então inaudito, e A’ reapresenta o material inicial, sintetizando-o com o da parte intermediária. O segundo movimento é uma fuga atonal. Sua exposição é caracterizada pela contínua manutenção do nível de tensão harmônica, o desenvolvimento pelo desdobramento do tema, acumulando sempre mais tensão, a qual é logo dissipada pela re-exposição, através de inusitada instrumentação e de harmonias por superposição de intervalos simétricos de 4ª justa. O Scherzo-pizzicato, extremamente sucinto, procura cumprir com as lúdicas relações de repetição e contraste entre suas partes principais e o Trio (seção intermediária), que seu título suscita. Já o movimento final retorna ao pós-serialismo em uma espécie de rondó hipnótico, sintetizando motivos de tons inteiros com cromatismos virtuosísticos. Uma leve brasilidade sombreia sua rítmica e sonoridade.

Edino Krieger (*1935), Divertimento

A obra foi escrita originalmente para piano (Sonata n°1) e foi transcrita 5 anos mais tarde para orquestra de cordas pelo próprio autor. Participante ao segundo período composicional de Krieger, possui características formais neo-clássicas e linguagem harmônica tonal-modal. Conferem grande unidade a seus motivos melódicos e rítmicos o largo uso de intervalos justos, 4as e 5as, bem como a permanente presença de explícita brasilidade. O primeiro movimento jaz em algum lugar entre a forma sonata e um A-B-A. O segundo, Seresta, é uma espécie de canção-circular, em que o tema é repetido várias vezes sempre algo modificado e diferenciadamente desenvolvido. As variações finais, em número de 5, são encerradas por um empolgante Presto, aqui reminiscência do Frevo pernambucano, com suas firulas e acentuações características.

Heitor Villa-Lobos (1887-1959), Bachianas Brasileiras n°9

As Bachianas Brasileiras são um conjunto de nove obras para diferentes formações escritas entre 1930 e 1945. Sua intenção é produzir uma síntese livre entre a música brasileira popular de diversas regiões e variados elementos harmônicos, contrapontísticos e formais da música barroca, homenageando em seu título o grande mestre do barroco alemão Johann Sebastian Bach. A nona Bachiana é um Prelúdio e Fuga, e portanto, pertencente a um dos gêneros que mais celebrizaram o grande mestre alemão. A obra demonstra-nos a absoluta maestria composicional de que gozava nosso, também mestre, Villa-Lobos.


SERVIÇO

Florianópolis
Quando – 15 de Abril, às 21h
Onde – no Teatro Álvaro de Carvalho – Centro
Ingressos- R$ 10 inteira e R$ 5 para estudantes e idosos.

Laguna
Quando – 17 de Abril de 2011 (sexta-feira) – às 20h
Onde – Centro Cultural Santo Antonio dos Anjos
Ingressos- R$ 10 inteira e R$ 5 para estudantes e idosos, à venda no dia da apresentação, na bilheteria do Centro Cultural.

Criciúma
Quando- 18 de Abril de 2011 (Sábado) – 20h
Onde – Teatro Elias Angeloni
Ingressos: R$ 10 inteira e R$ 5 para estudantes e idosos, à venda na bilheteria do Teatro.

spot_img
spot_img