17.9 C
fpolis
quarta-feira, outubro 20, 2021
cinesytem

Pesquisadores da Udesc Esag estudam hábitos dos usuários para subsidiar políticas de mobilidade

spot_img

Pesquisadores da Udesc Esag estudam hábitos dos usuários para subsidiar políticas de mobilidade

spot_img

 

Pesquisadores do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) devem publicar a partir do fim de janeiro, na forma de artigo científico, os primeiros resultados de uma pesquisa sobre mobilidade sustentável na Grande Florianópolis.
Os professores Daniel Pinheiro e Eduardo Jara, da Udesc Esag, estão desenvolvendo a pesquisa em parceria com o colega Pietro Lanzini, da Universidade Ca' Foscari (Veneza, Itália). O professor italiano está em Florianópolis por um período de 20 dias, trabalhando nos dados em conjunto com os colegas.
 
A coleta de dados envolveu pesquisas on-line com moradores da região, em duas etapas (2016 e 2019).  Mais de 750 pessoas preencheram os questionários.

Brasil e Itália

O estudo também será aplicado, com a mesma metodologia, na Itália, permitindo também análises comparativas. “Queremos aperfeiçoar o modelo de pesquisa, combinando dados das intenções racionais das pessoas e de seus hábitos de mobilidade”, explica Pietro Lanzini.

“Nosso foco está no comportamento e escolhas individuais quanto ao modo de deslocamento e ajudará, inclusive, na proposição de políticas públicas que considerem não apenas a infraestrutura, o investimento e o tipo de transporte, mas também as escolhas pessoais”, afirma Daniel Pinheiro.

Florianópolis

Com os dados coletados na primeira etapa da pesquisa, em 2016, o grupo chegou a algumas conclusões importantes. A primeira é a de que as pessoas não enxergam opções confiáveis para mudar a maneira como se deslocam pela Capital, principalmente se isso significar deixar o carro na garagem.

Os gestores municipais precisam então fazer escolhas difíceis, especialmente em relação aos meios de deslocamento das pessoas, priorização de espaços e incentivo ao transporte coletivo. “É preciso um novo modelo de mobilidade, com uma maior integração dos anseios econômicos, políticos, sociais e ambientais da cidade”, afirma Pinheiro.

Mais informações

As conclusões do estudo de 2016 foram publicadas em 2017 em artigo científico com resultados parciais (working paper) na Universidade Ca'Foscari de Veneza, Itália (em inglês): Sustainable mobility in Florianópolis: A commuter based empirical investigation.

Mais informações podem ser obtidas com o professor Daniel Pinheiro, da Udesc Esag, pelo e-mail daniel.pinheiro@udesc.br.

spot_img
spot_img