17.6 C
fpolis
quarta-feira, julho 6, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Prefeitura apóia curta-metragem “Amarras”

Prefeitura apóia curta-metragem “Amarras”

spot_imgspot_img

A Prefeitura Municipal de Florianópolis está apoiando o documentário Amarras, da jornalista Letícia Kapper. O curta-metragem, contemplado pelo Prêmio Funcine de Produção Audiovisual Armando Carrerão em 2008, será lançado no próximo dia 8 de abril, no Teatro da União Beneficente Recreativa Operária (UBRO), na Capital. A exibição ocorrerá em duas sessões: às 20h30 e 21h.

O filme foi baseado na vida da detenta Katya Regina Costa, que praticamente, viveu sua juventude dentro de prisões e quando ganhou a liberdade, sem ter para onde ir, burlava as regras e voltava dormir na cadeia.

A estréia será prestigiada pelo rapper Bernardo BNegão. É de sua autoria as duas músicas trilha do filme – Ho Hay (instrumental) e Vai E Volta. BNegão comanda ainda a discotecagem na festa de lançamento, que prossegue após a projeção do filme no Jivago Lounge, a partir das 22h, com warm up dos DJs Marcelo Mancha e Heráclito Maia, do projeto Mancha & Herax from L.I.M.B.O. O lançamento tem apoio do Funcine, Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes e RIC Record.

A idéia do documentário surgiu para Letícia no ano passado, depois de ver na mídia, inclusive nacional, a história da ex detenta descoberta pernoitando na área de visita íntima do Presídio Feminino de Florianópolis. “Me chamou a atenção o seu desamparo. Ela só queria ter um lugar para ficar, não importa onde”, conta.

Em princípio, seu filme seria focado em Katya, hoje com 28 anos e cumprindo novamente pena no Presídio Feminino de Mafra, em Santa Catarina, e em outras mulheres detidas na mesma unidade. Porém, ao chegar ao município do planalto catarinense para as gravações, teve acesso à ala masculina, onde encontrou outras histórias chocantes. “As mulheres estão em quartos, higienizados e até coloridos, enquanto os homens ocupam ambientes insalubres e superlotados. A ala foi projetada para cerca de 100 pessoas e abriga quase 400”, relata.

Diante disso, a jornalista incluiu no filme depoimentos de outros detidos, que refletem, assim como o de Katya, a dinâmica do sistema prisional brasileiro, o processo de exclusão e a falta de oportunidades dentro e fora das cadeias. Também ouviu agentes carcerárias e o diretor do Presídio de Mafra.

Ação e reação

Amarras possui aproximadamente 18 minutos e tem produção da Vinil Filmes. As gravações ocorreram em três dias no mês de dezembro, no município de Mafra. A trilha sonora foi cedida pelo rapper BNegão e a escolha de suas composições são em razão da sua proximidade com o tema: o músico trabalha dentro dos presídios fazendo shows e palestras. “A canção Vai e Volta fala de ação e reação. As unidades carcerárias são uma panela de pressão, ignorá-las é a ação, a violência batendo nas portas é a reação”, considera Letícia.

spot_img