29.6 C
fpolis
terça-feira, janeiro 25, 2022
cinesytem

Procon de Florianópolis realiza pesquisa de ovos de Páscoa, peixes e pescados

Procon de Florianópolis realiza pesquisa de ovos de Páscoa, peixes e pescados

spot_img

Cinco supermercados foram pesquisados, mais de 130 produtos entre ovos de Páscoa, caixa de bombons e barras de chocolates apresentaram significativas diferenças de preço. Dez peixarias no Mercado Público também estão na pesquisa. Até o dia 4 de abril, empresas que oferecem propagandas enganosas, vão estar na mira do Procon de Florianópolis.

Vale a pena pesquisar antes de comprar os chocolates da Páscoa. É o que mostra uma pesquisa feita pelo Procon de Florianópolis durante os dias 3, 4, 9 e 10 de março. A variação dos preços de alguns itens de um estabelecimento para outro chega a ultrapassar R$10.

A pesquisa levou em conta os preços dos produtos mais procurados nesta época: os ovos de chocolate, caixas de bombom, peixes e pescados. Agentes do Procon percorreram cinco supermercados em Florianópolis e dez peixarias no Mercado Público e constataram diferenças significativas nos preços desses itens.

Foram pesquisados 13 tipos de pescados. A maior diferença foi identificada no preço do camarão sem casca. Em uma peixaria, o pescado era vendido por R$18 o quilo, enquanto em outra pode ser encontrado por R$ 25 o quilo.

Já nos 134 itens relacionados à de ovos de Páscoa avaliados, divididos em seis marcas, a diferença chega a ultrapassar 16%, por exemplo, na venda do ovo Nestle Alpino 700g. O mesmo produto pode ser encontrado por R$ 44,75 e por R$ 52,90 em dois supermercados diferentes da Região Metropolitana.

Mas não é apenas a diferença de preço que pode trazer prejuízos ao bolso do consumidor. Deixar tudo para a última hora pode acarretar no encontro de preços elevados, conforme se aproxima uma determinada data. A Páscoa deste ano cai só no dia 4 de abril e o consumidor pode adiantar as compras para evitar a correria.

Ivan da Silva Couto Júnior, diretor do Procon de Florianópolis, afirma que a atitude de elevar preços em proximidades de datas comemorativas é proibido, conforme Código de Defesa do Consumidor, artigo 39, Inciso X: É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas, elevar sem justa causa o preço dos produtos ou serviços.

Ainda segundo o diretor, o próprio consumidor, também deve fazer a tradicional pesquisa de preços, mas sem gastar tempo e dinheiro com grandes deslocamentos. Procure os preços pela internet, folhetos ou em propagandas de TV.

Cuidado com as propagandas enganosas. Estabelecimentos que afirmam em anúncios que seus preços estão mais baratos, estão na mira do Procon. Veja abaixo, o arquivo com a pesquisa de preços.

O órgão orienta que os consumidores fiquem atentos às especificações contidas na embalagem: prazo de validade, composição e peso líquido do produto.

Na pesquisa, alguns produtos estão sem valores determinados, pois em alguns supermercados e peixarias a variedade de produtos ainda é pequena, ou que ainda não foi entregue pelos fornecedores.

Outras pesquisas serão realizadas até a o dia 04 de abril, Páscoa.

spot_img
spot_img