21.4 C
fpolis
quinta-feira, janeiro 27, 2022
cinesytem

Projeto 12:30 da UFSC inicia o ano com duas apresentações

Projeto 12:30 da UFSC inicia o ano com duas apresentações

spot_img

Felipe Coelho se apresenta na quarta, 03/03

Nesta quarta-feira, 03/03, na mesma semana em que começam as aulas do primeiro semestre letivo de 2010 da UFSC, o Projeto 12:30 dá as boas vindas aos calouros da Universidade e inicia as atividades do ano com o show do compositor e instrumentista Felipe Coelho. A apresentação acontece na Concha Acústica da UFSC às 12h30, é gratuita e aberta à comunidade.

Felipe Coelho apresenta um repertório variado, que inclui o flamenco, a música brasileira e o jazz, e promete mesclar composições próprias e adaptações de músicos consagrados. O músico, que já se apresentou em outras edições do Projeto 12:30, volta aos palcos da UFSC para mostrar sua versatilidade em estilos, além de executar peças difíceis com elevado nível técnico, merecendo elogios do público.

Saiba mais sobre o músico:

Felipe Coelho iniciou o curso de música na Udesc em 1999 e, após um semestre na universidade catarinense, recebeu uma bolsa de estudos para o bacharelado na Universidade do Alabama (EUA), onde se graduou em Jazz Studies em 2003. Posteriormente concluiu ainda o mestrado em Jazz Studies (ênfase em violão e guitarra) na Universidade da Geórgia (EUA). Foi agraciado com alguns prêmios – entre eles o de melhor solista do Alabama State Jazz Festival of Grissom High School, 1998, em Huntsville AL.

Nascido em Florianópolis, Felipe se interessou por música pela primeira vez aos cinco anos, quando descobriu que podia fazer compilações de tapes cassete gravando músicas do rádio. Essa paixão evoluiu rapidamente; aos seis anos tocava violão com o pai, e aos 13 tocava guitarra com sua banda em festas de amigos. Após ser premiado melhor solista de jazz aos 15 anos em um festival estadual nos Estados Unidos, enquanto era intercambista, recebeu bolsas de estudos para manter-se no país onde adquiriu diplomas de bacharelado e mestrado em Jazz Studies e Arranjo com foco em guitarra. Durante essa época teve conflitos de identidade musical, entre a disciplina da educação jazzisitica e seu foco natural pela musica brasileira e o flamenco. Ao terminar o mestrado aos 23 anos, Felipe passou os próximos dois anos apresentando-se quase todos os dias no sul dos Estados Unidos com grupos diversos e também de maneira solo, e foi convidado a apresentar-se em cruzeiros internacionais.

O período de nove anos, vivido nos Estados Unidos, deu a ele a oportunidade de escrever composições e arranjos para grupos universitários, desde formações menores até orquestras completas, e de ter contato musical com grandes nomes, como Kenny Garret, David Sanchez, Arturo Sanduval, Frank Vignola, Gene Bertoncini, Garry Motley, além de compor para diversas companhias de baile flamenco como “Perla Flamenca”, “Fario Gitano”, “Cuerpo Libre”.

Esse período de desenvolvimento permitiu que sua identidade musical fosse formada como uma combinação da sua cultura brasileira, adicionada ao estilo flamenco/cigano que ele considera uma “herança espiritual”, e a música jazzística, dentro da qual foi educado. A constante prática de composição o permitiu encontrar um estilo unicamente próprio.

Aos 25 anos lançou seu primeiro disco, obtendo atenção nacional da televisão através do programa Manhattan Conection, que elogiou seu trabalho, e de revistas especializadas, como Guitar Player e Violão Pro. O lançamento do disco foi seguido imediatamente por uma viagem para a Europa, onde Felipe obteve um contrato de performance por seis meses para mostrar seu trabalho em cruzeiros pelo Mediterrâneo, vendendo centenas de discos.

Ganhador do prêmio de produção musical “Elizabete Anderle”, Felipe lançou recentemente seu segundo disco autoral “CataVento” e continua recebendo elogios da crítica nacional. O músico parte em turnê pelo Brasil em agosto deste ano, firmando presença na nova e promissora geração da música instrumental brasileira. Sua identidade musical é consequência de uma nova era na música mundial. O próprio músico a define: “evitando delineações tradicionalistas, ela é voltada para o verdadeiro intercambio entre culturas em busca somente da beleza e do prazer que ainda se pode descobrir na arte de tocar”.

Outras informações sobre o músico: www.myspace.com/felipefcoelho.

Eliana Taulois participa do Acústico, na quinta, 04/03

Quinta, 04/03
Projeto 12:30 Acústico com Eliana Taulois

O Projeto 12:30 Acústico inicia as apresentações deste ano na quinta-feira, 04/03, com a apresentação de Eliana Taulois e Banda. O show tem início às 12h30, no Teatro da UFSC, é gratuito e aberto à comunidade.

Eliana Taulois volta aos palcos mesclando composições próprias com músicas brasileiras e enfatizando novos arranjos, dando origem ao show Original, nome também do próximo lançamento da cantora e compositora catarinense.

Saiba mais sobre os músicos:

Na banda, o tecladista Ryoolq Chenlin, que é também produtor e compositor catarinense, faz da musica sua fonte de inspiração. Em seus 19 anos de experiência em palcos e estúdios do Brasil, tem como seu ponto forte a fusão do vintage com a praticidade da tecnologia digital.

Emerson Fortes é baixista catarinense, graduado em Música pela Udesc. Foi o Baixista destaque da Trama Virtual, e em 2008 conquistou com a banda Felixfônica o prêmio do Projeto Pixinguinha, gravando mais um CD no seu vasto currículo de gravações.

Luiz Fernando Pereira Martins é guitarrista, educador e produtor musical. Destaque em gravações de diversos artistas, tem como característica forte seus solos e levadas marcantes.

Jaques Blasetti, um dos maiores bateristas da atualidade catarinense, muito requisitado para gravações e shows, é eclético e define os ritmos com sua pegada marcante.

Projeto 12:30

O Projeto 12:30 é realizado pelo Departamento Artístico Cultural (DAC), vinculado à Secretaria de Cultura e Arte da UFSC e apresenta semanalmente atrações de cunho cultural, grupos de música, dança e teatro, nas versões ao ar livre na Concha Acústica e na versão acústico, quinzenalmente, no Teatro da UFSC.

Criado em 1986, foi a partir de 1993 que os shows passaram a ser realizados semanalmente na praça central do campus, a Praça da Cidadania. A cada ano, em cerca de 60 shows, mais de 300 artistas se apresentam para um público estimado em 20 mil pessoas. Em 1999, o Projeto gravou um CD com composições próprias de doze grupos locais e neste ano teve aprovado seu projeto para captação de recursos e gravação de um novo CD. O trabalho deverá privilegiar o formato acústico.

Projeto 12:30 Acústico
Para atender à demanda do público e dos artistas que apreciam um estilo de música mais intimista, foi criado o Projeto 12:30 Acústico. No repertório, versões cantadas com acompanhamento ou apenas instrumentais, apresentações solo ou orquestras de câmara. As apresentações acontecem, quinzenalmente, às quintas-feiras do período letivo, às 12h30, no Teatro da UFSC, e são abertas ao público.

Inscrições Abertas
Artistas interessados em se apresentar no projeto dentro do campus da UFSC devem entrar em contato com o DAC através dos telefones (48) 3721-9348 / 3721-9447 ou por e-mail, enviando mensagem para projeto1230@dac.ufsc.br. Você pode encontrar mais informações no site www.dac.ufsc.br.

SERVIÇO 1:

O QUÊ: Show com o violonista Felipe Coelho
ONDE: Projeto 12:30 na Concha Acústica da UFSC
QUANDO: Quarta, 03/03, às 12h30min
QUANTO: Gratuito e aberto ao público
CONTATO: Felipe Coelho: www.myspace.com/felipefcoelho e felipefc@hotmail.com
DAC: (48) 3721-9348 e 3721-9447 ou www.dac.ufsc.br.

SERVIÇO 2:

O QUÊ: Show Acústico com Eliana Taulois e Banda
ONDE: Projeto 12:30 Acústico no Teatro da UFSC, Praça Santos Dumont – Florianópolis
QUANDO: Quinta, 04/03, às 12h30min
QUANTO: Gratuito e aberto ao público
CONTATO DAC: (48) 3721-9348 e 3721-9447 ou ou www.dac.ufsc.br.

Por Stephanie Pereira – Acadêmica de Jornalismo, Assessoria de Imprensa do Projeto 12:30: DAC: SeCArte: UFSC, com materia

spot_img
spot_img