14.6 C
fpolis
sexta-feira, setembro 17, 2021
cinesytem

Promotor Luciano Trierweiller assume nesta sexta-feira a presidência da Associação Catarinense do Ministério Público

spot_img

Promotor Luciano Trierweiller assume nesta sexta-feira a presidência da Associação Catarinense do Ministério Público

 O promotor de Justiça Luciano Trierweiller Naschenweng será empossado, nesta sexta-feira, 12, presidente da Associação Catarinense do Ministério Público (ACMP), entidade representativa dos Promotores e Procuradores de Justiça do Estado. A solenidade, realizada na Sede Balneária da ACMP, contará com mais de 200 convidados entre representantes do MP, Judiciário, Legislativo e Executivo estaduais. A Presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (CONAMP), Norma Cavalcanti, também prestigiará o evento.

Naschenweng assume o cargo juntamente com os demais membros da chapa "União em movimento", eleita com 409 votos, única concorrente no pleito transcorrido no mês de novembro. As eleições foram conduzidas por uma Comissão composta pelos associados Aurino Alves de Souza, Nuno de Campos, Analú Librelato Longo e Valberto Antônio Domingues.

O novo Presidente da ACMP tem 42 anos de idade, dos quais 16 dedicados à vida ministerial. Luciano ingressou no MPSC em 1998, na comarca de Concórdia, e durante sua trajetória atuou nos municípios de Ponte Serrada, Xanxerê, Chapecó, Criciúma, Blumenau e na Capital. Administrativamente, foi Assessor do Procurador-Geral de Justiça, Lio Marcos Marin, por três anos, e integrou comissões voltadas para os estudos acerca das atribuições e estrutura do MP. Também foi membro titular do Grupo Especial de Defesa dos Direitos dos Animais (GDDA).

Além da Diretoria executiva, os cinco candidatos eleitos para o Conselhos Fiscal da entidade também tomam posse de suas novas funções na sexta-feira: Marcelo de Tarso Zanellato, Abel Antunes de Mello, Helen Crystine Corrêa Sanches, Fabrício José Cavalcanti e Havah Emília Piccinini de Araújo Mainhardt.
Os mandatos dos Diretores e Conselheiros seguem até 2016, e sucedem quatro anos de gestão do Promotor de Justiça Andrey Cunha Amorim.

spot_img
spot_img

Leia mais

spot_img