15.2 C
fpolis
segunda-feira, outubro 18, 2021
cinesytem

Santa Catarina deve ter chuva acima da média nos próximos três meses

spot_img

Santa Catarina deve ter chuva acima da média nos próximos três meses

spot_img

A Epagri/Ciram informa que o trimestre (junho, julho e agosto) deve ser de bastante chuva em SC, com possibilidade maior de registro de valores acima da média no mês de julho e agosto.

Junho deve ser o menos chuvoso dos meses de inverno, no entanto poucos episódios de chuva pode alcançar o total esperado. Nesse mês, a chuva deve continuar ocorrendo de forma irregular, com maiores períodos de dias sem chuva e mais ensolarados.

Eventos de chuva intensa, em curto espaço de tempo, podem ocorrer em qualquer época do ano. Por isso, ressalta-se a importância do acompanhamento diário da previsão do tempo.

Climatologia (o que se espera para época do ano):

No mês de junho, os valores esperados de chuva variam de 110mm a 170mm em média do Oeste ao Planalto e 70mm a 130mm nas demais regiões.  Os meses de junho e julho são bem parecidos em relação à média climatológica de 80mm a 140mm do Planalto ao Litoral e de 130mm a 170mm no Oeste e Meio-Oeste, sendo o mês de junho um pouco menos chuvoso em relação a julho.

As chuvas são preferencialmente causadas pela influência de frentes frias,sistemas de baixa pressão e vórtices ciclônicos.Também é a época de atuação frequente dos ciclones extratropicais próximos ao Litoral, que oferecem perigo às embarcações, com ventos fortes e mar agitado, podendo resultar em ressaca.

Em relação à temperatura, a previsão é de valores próximos à média climatológica no trimestre. Nos meses de inverno, podem ocorrer veranicos, porém o mais comum são as atuações de massas de ar frio de origem polar. Estas massas devem ser frequentes e mais intensas, típicas do Sul do Brasil.

São caraterísticas do inverno os nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade, geada ampla e episódios de neve nas áreas mais altas do Estado.

O monitoramento das condições oceânicas indica a persistência de anomalias positivas de TSM (Temperatura da Superfície do Mar) no Oceano Pacífico Equatorial cada vez menores, com tendência à configuração de neutralidade por dois meses seguidos (meses de inverno) e configuração de La Niña no final da estação mais fria do ano e início da primavera.

Com informações são da assessoria de Comunicação do Governo do Estado 

spot_img
spot_img