23.9 C
fpolis
domingo, janeiro 23, 2022
cinesytem

Universidade do Porto quer estabelecer parcerias com o setor de tecnologia em Florianópolis

Universidade do Porto quer estabelecer parcerias com o setor de tecnologia em Florianópolis

spot_img

Uma comitiva de empresários portugueses e representantes da Universidade do Porto esteve em Florianópolis para conhecer as empresas de tecnologia da Capital e desenvolver projetos em parceria entre os dois países. A visita, realizada pela primeira vez no Brasil, quer criar um intercâmbio frequente entre as empresas e universidades brasileiras e portuguesas na área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).
A visita em Florianópolis não aconteceu por acaso. A Universidade do Porto, responsável pela comitiva empresarial, fez uma pesquisa inicial antes de vir ao País. “Levamos alguns meses para conhecer, a distância, o mercado de tecnologia do Brasil. O que percebemos é que Florianópolis tem uma vocação crescente para a tecnologia e está bastante avançada se comparada ao restante do País”, revela o responsável pela comunicação do UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, Felipe Ávila da Costa.

Os empresários portugueses passaram um dia na Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) e tiveram a oportunidade de identificar e buscar sinergia na atuação de cada uma delas. “O contato entre os empresários já é produtivo porque há, antes de tudo, ligações culturais. Houve uma troca de informações intensa”, explica. Seis empresas portuguesas integram a comitiva: Tomorrow Options, Practical Way Software, Nonius Group, Gema Interactive Media, Ewen Gestão de Energia & Ambiente e Adclick Digital Marketing

Segundo Costa, a partir deste encontro a Universidade do Porto deve protocolar acordos de cooperação com a ACATE e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) a fim de fomentar o intercâmbio e os negócios entre os dois países. “Florianópolis nos surpreendeu pelo alto nível tecnológico. Em algumas áreas o nível compete de igual para igual com os países Europeus. O Brasil é uma porta aberta na América do Sul e nós podemos ser para as empresas brasileiras uma porta na Europa. Muito deve ser feito a partir desses encontros”, conclui.

Para a diretora executiva da ACATE, Jamile Sabatini Marques, este relacionamento com os portugueses representa uma real oportunidade da internacionalização de micro a médias empresas de Santa Catarina. “Portugal pode se tornar uma plataforma de negócios e de pesquisa cooperada com o objetivo de levar a tecnologia catarinense para o mercado europeu por meio de parcerias, joint ventures e representações”, explica Jamile.

A comitiva segue para São Paulo e encerra a missão no Chile.

spot_img
spot_img