13.7 C
fpolis
quarta-feira, agosto 10, 2022
Cinesystem Villa Romana Shopping

Visões oníricas e clichês inspiram exposições na Capital

spot_imgspot_img

Visões oníricas e clichês inspiram exposições na Capital

spot_imgspot_img

A Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes (FCFFC) abre nesta terça-feira (05/10) a exposição “Lista Negra”, na Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti, com desenhos e animações de Leandro Lopes de Souza e Diego de Los Campos. Na mesma ocasião, sob curadoria de Victor da Rosa, será inaugurada a exposição coletiva “Dicionário de Ideias Feitas”, no Instituto Meyer Filho, que funciona anexo à galeria da FCFFC. A abertura conjunta será às 19h30, com visitação pública a partir de quarta-feira, das 13h às 19h.

Aberta até 29 de outubro, a exposição “Lista Negra” é composta por 18 desenhos em lápis branco sobre papel negro, no tamanho 63x50cm, incluindo ainda duas animações feitas a partir de desenhos da série. A mostra revela uma severidade lúdica, colocada com liberdade de expressão no conjunto e em cada obra, mas sem deixar de lado o aspecto técnico.

Leandro Lopes de Souza procura contar uma história que nunca se desvenda. Revela o lado interno de organismos, ficando à margem da racionalidade das manifestações do cotidiano mecânico que se manifestam em formas inusitadas, como nos sonhos. Por outro lado, Diego de Los Campos explora a relação de contrastes, que varia entre cheio-vazio, intenso-leve e interno-externo, para criar desenhos que valorizam uma continuidade disforme, onde o corpo humano e a geometria estão sempre presentes.

Ideias feitas

Com vídeo, objetos, instalação e texto, a exposição “Dicionário de Ideias Feitas” fica aberta até 20 de outubro, no Instituto Meyer Filho. Sob curadoria de Victor da Rosa, a mostra tematiza sobre o uso da escrita na arte contemporânea, contemplando trabalhos dos artistas Cildo Meireles, Cláudio Trindade, João Serraglio, Omar Piando, Rafael Campos Rocha, Ronald Polito e ERRO Grupo.

“Dicionário de Ideias Feitas” é o título de um livro inacabado de Flaubert. Nele, o escritor francês, ainda no século XIX, descrevia alguns clichês da época através de pequenos verbetes. A apropriação de ideias feitas, alteradas e pervertidas pela ironia, será a sugestão do ready-made de Duchamp, algumas décadas depois de Flaubert. E a exposição não poderia ser diferente ao lidar com tais questões. Além do mais, alguns artistas da mostra são também escritores.

Através de objetos que fazem alusão à escrita, com temas e procedimentos específicos ou mesmo com obras que utilizam o próprio texto como principal ferramenta, o gesto nominalista é o eixo de discussão. A ficção e a autobiografia, por isso, são duas de suas marcas, assim como a apropriação e o clichê. Quem se apropria, de certo modo, é um falsificador. A escrita ora se relaciona com o tempo do vídeo, ora com um objeto; sempre com alguma ficção. Por vezes também desaparece, deixando apenas um vestígio.

Serviço:

O Quê: Exposição “Lista Negra”

Quando: Terça-feira (05/10) – 19h30 – abertura

Visitação até 29 de outubro – das 13h às 19h

Onde: Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti

Praça XV de Novembro nº 180 – Centro

(48) 3228-6821

Quanto: gratuito

O Quê: Exposição “Dicionário de Ideias Feitas”

Quando: Terça-feira (05/10) – 19h30 – abertura

Visitação até 20 de outubro – das 13h às 19h

Onde: Instituto Meyer Filho

Praça XV de Novembro nº 180 – Centro

(48) 3228-6821

Quanto: gratuito

spot_img

Leia mais