16.9 C
fpolis
sexta-feira, outubro 22, 2021
cinesytem

Cineclube divide espaço com rancho de pescadores no Campeche

spot_img

Cineclube divide espaço com rancho de pescadores no Campeche

spot_img

A safra da tainha termina oficialmente em 31 de julho, mas a praia do Campeche vai continuar no clima das puxadas de rede, reunindo pescadores e moradores locais. O mesmo rancho de pesca que guarda as canoas que garantem o sustento de famílias na região vai abrigar também o Cineclube Dona Chica, uma sala de cinema nada convencional, aberta a construir e reviver histórias projetadas na tela. O espaço cultural será inaugurado neste domingo (31/07), às 18h, com a exibição do documentário “De Saint Exupéry a Zeperri”, sobre a trajetória do famoso aviador e escritor francês e sua passagem pelo Campeche, em Florianópolis.
O nome do cineclube é uma homenagem a Francisca Paulina Inácio, dona Chica, esposa do pescador Manoel Rafael Inácio, seo Deca, com quem Antoine de Saint-Exupéry estabeleceu laços de amizade, segundo relatos de moradores locais e depoimentos contidos no documentário. A apresentação do filme – a primeira feita na comunidade – marca o aniversário de morte do piloto da Companhia Aéropostale, desaparecido no Mar Mediterrâneo em 31 de julho de 1944.

O projeto do cineclube é uma iniciativa da Associação de Pescadores Artesanais do Campeche em parceria com a Prefeitura da Capital e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes (FCFFC), com apoio do Funcine e Cinemateca Catarinense. Uma vez por mês, o público poderá assistir gratuitamente a produções catarinenses e nacionais, no Rancho da Canoa. No local, a Fundação Franklin Cascaes já mantém uma oficina de música, coordenada pelo músico e pescador Getúlio Manoel Inácio, filho de seo Deca e dona Chica.

Dona Chica

Francisca Paulino Inácio nasceu em 1912 e cresceu na praia do Campeche, onde constituiu uma numerosa família. Filha de lavrador, dona Chica não gostava de ficar parada. Capinava o terreno onde plantava café, cuidava dos afazeres domésticos e, como a maioria dos nativos da região, também ajudava nas atividades do campo de aviação, fritando peixe, lavando louça e ajudando a iluminar a pista de pouso com lampiões para orientar os pilotos da Companhia Aéropostale durante vôos noturnos.

Vaidosa, andava sempre maquiada e arrumada, carregando um lenço ou um chapéu. Mais ainda aos domingos, quando freqüentava o baile na base da companhia aérea francesa, um velho casarão, conhecido como Popote, e que é o único do gênero ainda de pé entre as instalações construídas pela Aéropostale no Brasil. Dona Chica apreciava música, o que serviu como incentivo para que a maioria dos filhos seguisse carreira musical. Ela morreu em 2010, aos 98 anos, deixando 14 filhos, 94 netos e centenas de bisnetos. O marido morrera em 1993, aos 84 anos.

Registro inédito

Com cerca de 50 minutos, o documentário “De Saint Exupéry a Zeperri” tem direção geral de Branca Regina Rosa e roteiro de Delmar Gularte. Produzido a partir do argumento da pesquisadora Mônica Cristina Corrêa (PhD em Língua e Literatura Francesa pela USP), o filme perfaz a história da antiga companhia de correio aéreo francesa Aéropostale implantada no Brasil a partir de 1924, trazendo à tona a biografia de Antoine de Saint-Exupéry, um dos seus mais renomados pilotos.

Autor de um dos maiores best-sellers universais, O Pequeno Príncipe e considerado como o “poeta da aviação”, Saint-Exupéry trabalhou na sede argentina da empresa, entre 1929 a 1931. Nesse período, teria sobrevoado várias vezes a costa do Brasil, na qual a Aéropostale possuía 11 escalas, entre elas a de Florianópolis, em Santa Catarina, no bairro do Campeche. Em suas paradas pela região, o piloto-escritor teria entrelaçado uma singela amizade com pescadores locais.

A difícil pronúncia do nome do piloto francês incitou, entre os moradores, o apelido “Zeperri”, cristalizado na cultura e no folclore de Florianópolis. “De Saint-Exupéry a Zeperri” cruza testemunhos de franceses e brasileiros, aliando relatos orais à pesquisa histórica para reconstituir um capítulo praticamente desconhecido de um escritor cuja vida e obra remontam ao mito.


O Quê: Inauguração do Cineclube Dona Chica
(Exibição do documentário “De Saint Exupéry a Zeperri)

Quando: domingo (31 de julho)
17h – Apresentação do boi de mamão do Campeche
17h30 – Projeto Musica do Rancho da Canoa
18h – Lançamento do Cineclube Dona Chica.

Onde: Rancho da Canoa
(final da Avenida Pequeno Príncipe – Campeche)

Quanto: gratuito

Ficha Técnica

“De Saint – Exupéry a Zeperri” ( Doc/ Brasil/ 50 min./ 2011)
Direção: Branca Regina Rosa.
Criação e argumento: Mônica Cristina Corrêa
Roteiro: Delmar Gularte.
Em associação e parceria com a Succession Saint-Exupéry (Paris-Agay, França).
Classificação indicativa: livre

spot_img
spot_img